NOTÍCIAS
18/11/2015 10:00 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Atividade econômica do Brasil encolhe pelo quarto trimestre seguido, mostra BC

SÃO PAULO (Reuters) - A atividade econômica brasileira encerrou com contração de 1,41 por cento o terceiro trimestre, o quarto seguido de perdas num ambiente de incertezas fiscais e políticas no país.

EVARISTO SA via Getty Images
Brazilian President Dilma Rousseff announced a major government reshuffle on October 2, 2015, axing eight ministries in a cost-cutting measure that analysts say also aims to protect the embattled leader from impeachment threats. AFP PHOTO/EVARISTO SA (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP/Getty Images)

A atividade econômica brasileira encerrou com contração de 1,41% o terceiro trimestre, o quarto seguido de perdas num ambiente de incertezas fiscais e políticas no país.

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) divulgado nesta quarta-feira, espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), registrou recuo de 0,50% em setembro, depois de cair 0,76% em agosto, segundo dados divulgados pelo BC nesta quarta-feira.

O terceiro trimestre é o quarto seguido em que o IBC-Br mostra recuo, após taxas negativas de 2,09% no segundo, 1,05% no primeiro e de 0,50% no quarto trimestre de 2014.

O BC ainda apontou que o IBC-Br caiu 5,85% em setembro sobre o mesmo mês do ano passado, chegando a uma queda acumulada de 3,37% no ano e de 2,73% em 12 meses, sempre em números dessazonalizados.

O resultado aprofunda ainda mais o cenário de recessão do país, na qual o Brasil entrou no segundo trimestre, quando encolheu 1,9% sobre os três meses anteriores segundo os dados do IBGE.

Nesse ambiente, os resultados negativos de vários setores da atividade vêm se repetindo de forma recorrente, somando-se aos juros e inflação altos, piora do mercado de trabalho e confiança em deterioração diante das incertezas políticas.

Em setembro, a produção industrial registrou queda de 1,3% sobre agosto, pior resultado para o mês na série histórica, enquanto as vendas no varejo recuaram 0,5%.

Segundo a pesquisa Focus do BC, que ouve semanalmente uma centena de economistas, a expectativa é de que o PIB registre contração de 3,10% este ano, com a fraqueza avançando para 2016, quando a queda esperada é de 2%.

O IBC-Br incorpora projeções para a produção no setor de serviços, indústria e agropecuária, assim como o impacto dos impostos sobre os produtos.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: