NOTÍCIAS
16/11/2015 15:25 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:31 -02

Para combater terrorismo, presidente da França quer mudar Constituição

Montagem/AP Photo

O presidente da França, François Hollande, afirmou que vai propor emendas constitucionais para lidar com a crise de segurança vivida pelo país após os atentados da última sexta-feira (13).

Entre as mudanças propostas, o mandatário deseja que cidadãos com dupla nacionalidade sejam destituídos da cidadania francesa caso sejam condenados por terrorismo. Hollande também propõe que a entrada dessas pessoas na França seja proibida a pessoas que apresentem "risco de terrorismo".

Hollande também se comprometeu a direcionar mais recursos para forças de segurança e do Exército.

"Eu considero que, nestas circunstâncias, o pacto de segurança prevalece sobre o pacto de estabilidade", afirmou Holande, referindo-se aos limites orçamentais da zona do Euro.

Na última sexta-feira (13), uma série de ataques coordenados matou 129 pessoas em vários lugares de Paris. O Estado Islâmico assumiu a autoria dos ataques e ameaçou promover novos atentados na França e em nações que lutam contra o grupo na Síria.

Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta segunda (16) que os EUA não subestimam a capacidade do Estado Islâmico e têm tido uma "consciência aguda" da habilidade do grupo de atacar militarmente o Ocidente.

O mandatário ponderou, no entanto, que colocar um grande números de tropas em solo para combater o Estado Islâmico seria "um erro".

Como o Estado Islâmico não conduz uma "guerra convencional", é difícil pará-lo, disse Obama, acrescentando que os EUA estariam caindo na narrativa do grupo militante se agisse como se o grupo fosse um Estado.

"Não é o que está acontecendo aqui. Eles são assassinos", disse.

"Não é a sofisticação deles ou o arsenal particular que possuem, mas é a ideologia que carregam e a vontade de morrer", acrescentou.

(Com informações das agências de notícias).

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: