NOTÍCIAS
14/11/2015 18:57 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:31 -02

França vai manter ataques na Síria, diz primeiro-ministro

PARIS (Reuters) - A França vai manter sua intervenção na Síria com o objetivo de atacar alvos do Estado Islâmico, disse neste sábado o primeiro-ministro francês Manuel Valls, depois que o grupo

Pierre Suu via Getty Images
PARIS, FRANCE - NOVEMBER 14: A woman lits a candle in front of 'Le Carillon'restaurant on November 14, 2015 in Paris, France. At least 120 people have been killed and over 200 injured, 80 of which seriously, following a series of terrorist attacks in the French capital. (Photo by Pierre Suu/Getty Images)

A França vai manter sua intervenção na Síria com o objetivo de atacar alvos do Estado Islâmico, disse neste sábado o primeiro-ministro francês Manuel Valls, depois que o grupo assumiu responsabilidade pelos ataques que mataram 129 pessoas em Paris.

Valls disse à rede de televisão TF1 que o governo também planeja ampliar o estado de emergência imposto para toda a França após os ataques de sexta-feira na região de Paris, a fim de dar às autoridades amplos recursos para combater o que ele chegou de um inimigo "muito bem organizado".

Os ataques na noite de sexta-feira em Paris, em uma onda de tiroteios e explosões suicidas, parecem ter sido feitos por até três equipes, disse neste sábado o promotor público de Paris François Molins.

"Nós podemos dizer neste estágio das investigações que houve provavelmente três times coordenados de terroristas por trás destes atos de barbárie", afirmou ele em conferência de imprensa.

O promotor também confirmou que as autoridades francesas tinham um arquivo sobre radicalização islâmica de um dos agressores, que também já tinha ficha criminal, mas nunca havia passado pela cadeia.

Molins acrescentou que uma pessoa que havia alugado um dos carros usados nos ataques foi parada na fronteira com a Bélgica.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: