MUNDO
13/11/2015 19:49 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:31 -02

Ataques simultâneos deixam mortos e reféns em Paris

Uma série de ataques na noite desta sexta-feira deixou pelo menos 43 mortos em Paris, segundo informações do Corpo de Bombeiros. Seis tiroteios e três explosões foram registradas na cidade. Os ataques aconteceram por volta das 21h (horário local).

Um atirador que portava uma arma automática abriu fogo no restaurante Petit Cambodge, na Rue Alibert, no décimo distrito de Paris, próximo à Praça da República.

Outros ataques foram registrados nas proximidades do Stade de France, estádio de futebol de Paris, onde um amistoso entre a seleção da França e da Alemanha era realizado. A partida não foi interrompida para evitar pânico.

A agência de notícias AP diz que um policial francês confirmou dois ataques suicidas perto do estádio Stade de France. Até pouco tempo atrás, jogavam no local as seleções de futebol de França e Alemanha.

O presidente francês, François Hollande, e o ministro do Interior deixaram o estádio para tratar do ocorrido.

A polícia confirma ainda a presença de reféns na casa de espetáculos Le Bataclan Concert Hall, no boulevard Voltaire, no 11º distrito e cerca de 1,2 km do restaurante cambojano. Cerca de 100 pessoas que assistiam ao show da banda Eagles of the Death Metal foram feitas reféns.

De acordo com informações da Reuters, oficiais de segurança dos Estados Unidos acreditam que os ataques de Paris sejam coordenados.

No estádio, as explosões foram tão altas que se sobrepuseram ao grito dos torcedores.

O Itamaraty confirma dois brasileiros feridos nos ataques. Para tentar ajudar que não conseguiu voltar para casa, os parisienses iniciaram uma campanha para oferecer abrigo a quem está nos arredores dos ataques. Foi usada a hashtag #PorteOuverte ("portas abertas", em português).