COMPORTAMENTO
03/11/2015 21:28 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

14 cartazes da 'Primavera das Mulheres' que mostram por que a 'PL do Aborto' não pode ser aprovada

Para dar voz aos seus direitos, cerca de 20 mil mulheres foram às ruas nesta semana em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Belo Horizonte, para protestar contra o projeto de lei 5.069/2013 , de autoria do deputado e presidente da câmara Eduardo Cunha, que restringe o atendimento médico a mulheres vítimas de estupro e dificulta o aborto legal.

No último dia 21, o projeto foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara e agora está pronto para ir à votação no plenário. Além de retomar a necessidade do exame de corpo de delito para comprovar a violência sexual antes do atendimento médico, o projeto também retira do atendimento obrigatório o acesso à pílula do dia seguinte.

E as mulheres não vão aceitar isso. O útero e o corpo de todas as mulheres é laico. Mesmo que Eduardo Cunha, o Estado e as religiões não queiram. Durante os protestos, estas foram palavras de ordem, principalmente, nos cartazes usados pelas manifestantes. Selecionamos 16 cartazes que explicam, por si só, por que a 'PL do Aborto' não pode ser aprovada e é um verdadeiro retrocesso para o direito das mulheres no Brasil:

LEIA MAIS:

-'Cunha, inimigo número 1 da mulher', dizem manifestantes em São Paulo

-Manifestação contra Cunha em Belo Horizonte acaba com repressão policial e apreensão de dois manifestantes

-Mulheres vão às ruas em SP contra Cunha e 'PL do Aborto'

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: