Comportamento

#PrimeiroAssédio: Mulheres compartilham no Twitter primeira vez que sofreram assédio

A estreia do programa MasterChef Júnior na última terça-feira (20), que reúne crianças de 9 a 13 anos cozinhando "que nem gente grande" não ficou marcada pelo talento dos participantes, mas sim, pelos comentários com teor sexual direcionados a Valentina, uma das participantes do reality, de apenas 12 anos.

Durante o programa, comentários como "se tiver consentimento é pedofilia?", "com doze anos ela vai virar secretaria de filme pornô", "a culpa da pedofilia é dessa molecada gostosa", "essa Valentina fazendo esses pratos: que vagabunda!" foram feitos no Twitter, em sua maioria, por homens, direcionados à participante.

No texto "quando uma menina de 12 anos no MasterChef Jr desperta o desejo de homens adultos precisamos falar sobre a cultura do estupro", publicado no Brasil Post, a jornalista Carol Patrocínio levantou o enorme problema desta questão:

"É importante falar sobre a cultura do estupro. Ela anda nas entrelinhas de muitos discursos. Ela caminha ao lado da ideia de que homens não conseguem conter seus instintos. Ela está totalmente ligada ao falso consenso que poderia dar uma criança. Ela é reforçada pela infantilização de mulheres adultas. A impunidade é sua melhor amiga e a culpabilização da vítima sua principal arma."

Assim que o caso ganhou as redes sociais, o coletivo feminista Think Olga, que luta contra o assédio em espaços públicos e outros tipos de violência contra a mulher, lançou a hashtag #primeiroassédio no Twitter, incentivando mulheres a contar quando foi a primeira vez que foram assediadas -- e expor um problema que é tão enraizado, que é entendido como "brincadeira" ou "normal".

Para mostrar que o assédio é algo que deve ser punido - é fundamental não silenciar. As mulheres se sentem intimidadas e, para se preservar de julgamentos, sofrem em silêncio por uma violência que deixa marcas para a vida toda. Situações de meninas que, aos 7, 8, 9, 10 anos já foram submetidas a situações de violência, assédio e machismo foram compartilhadas na #primeiroassédio.

Abaixo estão 16 histórias compartilhadas por mulheres no Twitter. Até a manhã desta quinta-feira (22), cerca de 2,5 mil tweets mencionaram a hashtag.

ATENÇÃO:

As histórias abaixo podem ser gatilho para sensações desagradáveis

13 anos. Andando na rua pra ir no supermercado. Ouvi de um senhor que eu ja tinha peitos lindos. #primeiroassedio

— massia (@affmarcia) October 22, 2015

Eu tinha 7 anos, um cara no bairro se masturbou atrás de um poste vendo eu e minhas vizinhas brincando, nós corremos. #PrimeiroAssedio

— Nathália (@nathaliaraks) October 21, 2015

Com 11, fui agarrada por dois colegas mais velhos na escola e ao reclamar a diretora disse que eu dei motivo. #PrimeiroAssedio

— Mariana (@marifoipromar) October 21, 2015

Com 11 anos estava com minha tia na praia e uns caras começaram a olhar muito, mexer comigo e tirar fotos da minha bunda #primeiroassedio

— Kelli (@kssimoura) October 22, 2015

13 anos. apê na praia com avós. sou acordada no meio da noite por amigo da família. ele estava bêbado e pelado. #primeiroassedio

— K. (@leitoramedia) October 22, 2015

Eu tinha 11 quando um guri apertou minha bunda na sala de aula. Eu tive medo de reclamar e ele me seguir ate em casa. #primeiroassedio

— Ca ro li ne (@caroldrmb) October 22, 2015

Meu #primeiroassédio foi com uns 11 anos. Tava saindo do treino da natação de maiô e roupão e o porteiro da escola disse q eu era "gostosa'

— Denise. (@denisices) October 22, 2015

com 14, o açougueiro ficava mexendo comigo. minha mãe botou a culpa em mim. #PrimeiroAssedio

— marta (@suco_de_uva) October 22, 2015

No Twitter, as mulheres continuam compartilhando histórias sobre a primeira vez que foram assediadas: 9, 10, 11, 12 anos e já são marcadas pela violência sexual. Você viveu algo parecido? Divida a sua história com a hashtag criada pelo Think Olga e NÃO silencie este tipo de violência: ‪#‎PrimeiroAssedio‬.