NOTÍCIAS
29/09/2015 10:38 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Autor do pedido de impeachment 'favorito' da oposição, Hélio Bicudo detona Lula, PT e coloca em xeque até o STF (VÍDEO)

Membro fundador do PT e autor do pedido de impeachment ‘mais promissor’ contra a presidente Dilma Rousseff, o jurista Hélio Bicudo foi entrevistado na noite desta segunda-feira (28) pelo programa Roda Viva, da TV Cultura, de São Paulo. Ele aproveitou a oportunidade para reforçar críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao PT, como vem fazendo nos últimos meses.

“O Lula se corrompeu e corrompe a sociedade brasileira como ela é hoje através da sua atuação como presidente”, comentou, questionando posteriormente “as grandes fortunas” de atuais integrantes do governo federal, incluindo o próprio Lula. “O que mais me impressionou foi o enriquecimento ilícito do Lula. Ninguém fala nisso, mas eu conheci o Lula numa casa de 40 m2. Hoje, o Lula é uma das grandes fortunas do País. Ele e os seus filhos”, emendou.

Acompanhado da professora de Direito da USP, Janaína Paschoal, Bicudo destacou que o pedido de impeachment encaminhado ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não se baseia exclusivamente nas ‘pedaladas fiscais’, mas também possuem outros argumentos, como o chamado ‘estelionato eleitoral’, supostos repasses ilegais a pastas durante as eleições de 2014, e a ‘omissão’ de Dilma em relação aos seus subordinados durante o escândalo de corrupção da Petrobras.

‘PT não tem futuro’

Bicudo disse ainda que não acredita que exista algum futuro para o PT. “Acho que o PT não tem futuro. Acho que o PT, como partido, desapareceu. Tem uma pessoa, que é o Lula. O resto não é nada. Quer dizer, é o partido do 'sim, senhor'. Eu saí do PT exatamente por causa dessa questão da hegemonia das pessoas”, analisou.

O jurista criticou ainda a postura do partido e da própria Dilma em chamarem de ‘golpe’ as iniciativas pró-impeachment em andamento no Brasil. “Acho que precisa dizer para a Dilma ler a Constituição, porque lá está escrito que o impeachment é um remédio constitucional. Então, não existe esse negócio de impeachment. É um processo democrático em curso”, disse.

As críticas não ficaram apenas no âmbito do governo. Bicudo considerou ‘covardia’ a postura de nomes da oposição, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o governador de São Paulo Geraldo Alckmin – ambos do PSDB –, que ‘enfraquecem’ e não ajudam o pedido de impeachment a prosperar mais rapidamente. Para o ex-petista, seria importante uma união para que a saída de Dilma pudesse ser acelerada - com direito a um 'empurrãozinho da imprensa'.

Por fim, Bicudo ainda questionou o Judiciário no País. Apesar de defender a legalidade, o jurista argumentou que “o PT contaminou as instituições do Brasil de ponta a ponta”, incluindo aqui o Ministério Público e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Eduardo Cunha promete ainda nesta semana responder aos vários pedidos de impeachment que foram protocolados na Câmara.

Reações nas redes sociais

Para os opositores do governo Dilma, a entrevista de Bicudo ao Roda Viva foi muito bem avaliada, como ficou claro na maioria das postagens nas redes sociais, durante e após o programa.

Houve, contudo, aqueles que não viram com bons olhos a entrevista, a qual acabou adjetivada de outras formas.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: