NOTÍCIAS
26/09/2015 16:08 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Agora filiada ao PMDB, Marta Suplicy diz que Michel Temer vai reunificar País

Estadão Conteúdo

A senadora Marta Suplicy afirmou neste sábado, durante seu discurso em evento de filiação ao PMDB, que está honrada de ingressar no partido de Michel Temer que vai reunificar o País. "Conte comigo para reunificar os sonhos, o País. Vamos todos unir o País", disse Marta.

Durante seu discurso, citou vários integrantes do PMDB. Dentre eles, o ex-presidente e ex-senador José Sarney (PMDB-AP). "Sarney é um gigante da política. Ele deu ao Brasil a constituição cidadã, o direito ao consumidor e tantas outras conquistas. As pessoas esquecem", destacou a senadora.

Sobre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, Marta afirmou que ele é um líder focado e determinado. A senadora mencionou ainda o vice-presidente do PMDB Nacional, Romero Jucá. "Jucá é um senador atuante, um líder nato. Quero você ao meu lado sempre", destacou ela.

Sobre Gabriel Chalita, secretário de Educação do Município de São Paulo e presidente do PMDB da capital de São Paulo, Marta afirmou que o ex-tucano é um missionário e um símbolo da educação. Chalita defende uma aliança com Fernando Haddad na eleição à prefeitura de SP no ano que vem, enquanto Marta pleiteia ser a candidata do PMDB.

"Chalita, a vida pública é cheia de armadilhas, mas Deus escreve certo por linhas tortas. Juntos, vamos fazer o PMDB cada vez mais forte, afirmou Marta. A senadora, que saiu do evento sem falar com a imprensa, recebe, em sua casa, peemedebistas para um almoço. Chalita não estará presente.

Cunha quer candidato próprio

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, recomendou ao PMDB seguir o exemplo da senadora Marta Suplicy e largue o PT. "O PMDB tem de ter candidato próprio à Presidência. Que o PMDB siga seu exemplo, Marta. Vamos largar o PT", afirmou durante evento no teatro Tuca, da PUC-SP.

Cunha disse, ainda, que o PMDB não pode mais ir a reboque de quem quer que seja e não pode mais ser usado como parte do processo. "Esse ato simbólico de filiação de Marta mostra o quanto o PMDB está buscando seu próprio caminho. Time que não joga não tem torcida", destacou o presidente da Câmara, acrescentando a necessidade de o partido participar de todos os processos eleitorais que virão.

Michel Temer

O presidente em exercício Michel Temer afirmou durante o evento que, com o ingresso da senadora Marta Suplicy, o PMDB ficou maior ainda. Disse que a filiação da senadora renova a grandeza do partido, o que não acontecia desde a entrada de Paulo Skaf, da Fiesp, e Gabriel Chalita, presidente do PMDB na capital de São Paulo e secretário de Educação no município.

"O PMDB é partido aberto. Abrimos as portas para todos que querem colaborar com o País. O PMDB vai fazer muito pela Marta, mas você vai fazer mais pelo partido", ressaltou Temer.

O presidente, que saiu sem falar com a imprensa, disse ainda que o PMDB é um partido de divergência, mas que há momentos de convergências. "Nós convergirmos quando o assunto é o Brasil", concluiu.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: