NOTÍCIAS
16/09/2015 16:29 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Refugiado sírio derrubado por cinegrafista vai para escola de futebol na Espanha

AP Photo

O refugiado sírio que acabou sendo vítima de uma rasteira de uma cinegrafista de um canal de TV húngaro quando tentava cruzar a fronteira na Hungria, com o seu filho no colo, irá viver no subúrbio de Madri depois que uma escola de futebol espanhola, localizada em Getafe, lhe ofereceu um apartamento e ajuda para começar uma nova vida fora do seu país.

Osama Abdul Mohsen e seu filho, Zaid, 7, pegaram um trem cuja chegada à capital espanhola está prevista para acontecer no final da noite desta quarta-feira (16), segundo informou Luis Miguel Pedraza, do Centro Nacional de Formação de Treinadores (CENAFE). Um graduado desta mesma escola, que fala árabe, acompanharia Mohsen na viagem.

O refugiado foi visto em um vídeo carregando o seu filho quando a cinegrafista húngara Petra Laszlo lhe deu uma rasteira. Na ocasião, Mohsen caiu sobre o menino Zaid no solo, enquanto outro refugiados tentavam escapar de policiais perto da aldeia húngara de Röszke.

Depois do ocorrido, para Alemanha, país que está abrigando o maior número de refugiados na Europa e onde a imprensa local revelou que Mohsen foi técnico de futebol na Síria. Ele chegou a treinar o Al-Fotuwa, time da elite do país.

A escola de futebol espanhola, ao saber da história do refugiado, o convidou a viajar até Getafe, que fica apenas a 12 quilômetros de Madri. A academia de futebol pretende objetivo oferecer emprego ao refugiado, mas quer que Mohsen primeiro aprenda a falar espanhol - no momento ele conversa somente em árabe e um pouco em inglês.

"A primeiro coisa que faremos é ajudá-lo a se instalar. Primeiro lhe ajudaremos como um gesto humanitário. Depois buscaremos algo. Ele está interessado em nossa escola", afirmou Pedraza.

A escola de futebol planeja ajudar Mohsen a solicitar asilo na Espanha, país que na semana passada concordou em acolher 17.680 refugiados da Síria e outros países, a partir de um plano de distribuição de refugiados da Comissão Europeia.

A cinegrafista húngara acabou sendo demitida após a revelação de imagens nas quais ela derrubou Mohsen, seu filho, e chutou outros imigrantes que tentavam entrar na Hungria perto da fronteira com a Sérvia.

O refugiado sírio, que anteriormente deixou o seu país, destruído pela guerra que já matou 250 mil pessoas nos últimos cinco anos, tinha o objetivo de ingressar na Alemanha. Ele estava na Turquia, sem emprego e com dificuldades financeiras, e vinha realizando a perigosa viagem com o seu filho desde o início do mês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: