MULHERES
16/09/2015 18:20 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:40 -02

Craque do Irã é impedida pelo marido de disputar a Copa Ásia de futebol

"Lady Goal". O apelido dá a dimensão da importância de Niloufar Ardalan, 30, para a equipe iraniana de futsal feminino. Acontece que ela não poderá disputar a Copa da Ásia da modalidade no final deste mês. O motivo? O marido dela, o jornalista esportivo Mehdi Toutounchi, acredita que ela deve permanecer em seu país para acompanhar o primeiro dia letivo do filho.

No Irã, as mulheres precisam de autorização dos maridos (ou dos pais, no caso das solteiras) para viajar para outros países. Portanto, é fácil imaginar que situações como a da camisa 10 iraniana ocorrem aos montes. A diferença é que ela decidiu protestar.

“Queria que as autoridades criassem medidas que permitissem às atletas defenderem seus direitos nessas situações”, disse ela à agência de notícias Nasimonline. “Esses jogos eram importantes para mim. Como uma mulher muçulmana, queria trabalhar para a bandeira do meu país ser içada, não queria viajar por luxo ou diversão”.

"Os garotos têm a questão do serviço militar (quem não completar o serviço obrigatório está proibido de viajar). Uma solução foi encontrada para esses casos e algo deveria ser feito pelas mulheres também", disse em entrevista. "Qual é a diferença entre nós (homens e mulheres)?".

Também não sabemos, Niloufar.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: