NOTÍCIAS
15/09/2015 21:14 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Barraco na Câmara! Bolsonaro acusa líder petista de ser 'ladrão de banco' e ter dinheiro na cueca

Montagem/Estadão Conteúdo

Em um dia em que o debate ferveu na Câmara dos Deputados por causa da movimentação dos parlamentares pró-impeachment e dos aliados da presidente Dilma Rousseff, o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) roubou a cena com mais um de seus episódios polêmicos.

Enquanto o líder do governo, José Guimarães (PT-CE), defendia a presidente, Bolsonaro gritava que o petista era ‘ladrão de banco’, ‘tinha dinheiro na cueca’, e fazia gesto de ‘roubo’ com as mãos.

Guimarães é irmão de José Genoino, preso no mensalão, e foi um dos protagonistas do episódio dos dólares na cueca. Em 2005, o assessor dele José Adalberto Vieira foi preso no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, quando embarcava para Fortaleza, berço eleitoral de Guimarães, com US$ 100 mil na cueca e outros R$ 209 mil em uma maleta.

No discurso, Guimarães criticou a oposição, que reclama da CPMF. “É um imposto que vocês criaram no passado, às vezes a gente tem que ter um pouco de caráter quando a gente fala, não pode fazer as coisas como se não tivesse a ver com nosso passado, nossa história."

E continuou:

"Qual é a moral que essa gente tem para dizer que a Dilma tem que se afastar da presidencia da República. Ela é uma mulher limpa, passou muito tempo na prisão, quando muitos de vocês serviam ao regime militar.”

Os oposicionistas reagiram, começou um tumulto e Bolsonaro iniciou a gritaria. O presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), então, pediu intervenção dos seguranças para manter a ordem.

Indignado, Guimarães rebateu:

"Sempre te respeitei vossa excelência. Sempre achei e acho que vossa excelência é um homem que serviu ao regime militar e continua servindo, mas eu te respeito.(…) Jamais devolverei esse gesto obsceno a vossa excelência.”

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: