NOTÍCIAS
10/09/2015 10:46 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

5 histórias incríveis de apoio a refugiados – e como você também pode ajudar

ASSOCIATED PRESS
A Syrian woman carries a child as she arrives near the Hungarian border with Serbia, in Roszke, southern Hungary, Wednesday, Sept. 9, 2015. Leaders of the United Nations refugee agency warned Tuesday that Hungary faces a bigger wave of migrants in the next few days and will need international help to provide aid and shelter on its border.(AP Photo/Matthias Schrader)

1. Crowdfunding libanês

Abdul, um refugiado sírio, foi fotografado vendendo canetas na cidade de Beirute, no Líbano, enquanto sua filha, Reem, dormia exausta em seus braços. A foto viralizou nas redes sociais e um ativista decidiu criar uma campanha de crowdfunding para arrecadar dinheiro para a família. Em 12 dias, mais de 7 mil pessoas doaram e as doações ultrapassraam 180 mil doláres.

2. Carona ativista

Dezenas de motoristas alemães e austríacos cruzaram a fronteira, no fim de semana dos dias 5 e 6 de setembro, para ajudar refugiados a se deslocar. Eles foram até Budapeste, na Hungria, onde sírios foram proibidos de embarcar em trens rumo à Áustria e decidiram por realizar a viagem a pé. O ?comboio ativista?, como foi batizado, foi formado com mais de 140 carros particulares.

3. Campanha do agasalho

Austríacos se organizaram para conseguir montar um posto de doações de roupas e sapatos na fronteira com a Hungria, por onde milhares de sírios têm se deslocado. Os voluntários se preocupam que muitos dos refugiados não têm roupas de frio e podem adoecer, já Síria é bem mais quente que a maioria dos países europeus.

4. Mapeamento de dormitórios

No distrito de Camden, em Londres, voluntários criaram a campanha #RefugeesWelcome e começaram a mapear dormitórios vagos em casas que pudessem receber os refugiados. Além disso, mesmo os moradores que não têm um quarto para oferecer, podem ajudar se voluntariando para ensinar inglês, por exemplo. A intenção dos moradores de Camden é conseguir fazer com que o máximo possível de refugiados receba abrigo na Inglaterra, especialmente após o país ter divulgado que só se compromete a abrigar 4 mil pessoas ao ano.

5. CPF compartilhado

O comerciante sírio Amer Masarani, que mora em São Paulo, cedeu o próprio CPF para os conterrâneos que vêm ao Brasil em busca de asilo. Com o número, os imigrantes podem comprar chips de celular e ter seu próprio telefone. Ele tem apoiado sírios refugiados desde 2013 e até criou um curso de português para ajudá-los a aprender nossa língua. As mesquitas do estado também têm se mobilizado para receber refugiados. Muitas oferecem abrigo e fazem campanhas de doação de alimentos e roupas.

Também quer ajudar?

Instituições que trabalham com apoio a refugiados e estão abertas a doações e trabalho voluntário

Cáritas

Com quase 60 anos de história, é a instituição de maior referência em termos de apoio a refugiados no Brasil.

Instituto de Reintegração do Refugiado

Além de receber doações, a ONG tem programas de voluntariado para quem quer ajudar refugiados a recomeçar a vida no Brasil.

Acnur

A agência de refugiados da ONU recebe doações mensais e usa o dinheiro arrecadado para comprar kits-cozinha, mosquiteiros e tendas para famílias de refugiados.

International Rescue Comitee

A ONG está presente em 40 países e ajuda milhões de pessoas forçadas a fugir de guerras e de desastres naturais.

Save the Children

Uma campanha específica foi criada pela ONG para ajudar crianças refugiadas.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: