NOTÍCIAS
09/09/2015 12:31 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

Luciana Genro insinua que Perrella foi 'blindado' de investigação sobre helicóptero carregado com cocaína

Montagem/Reprodução Facebook

Em resposta a uma interpelação da Câmara dos Deputados, a ex-deputada e ex-candidata à Presidência pelo PSOL Luciana Genro afirmou que o senador Zezé Perrella (PDT-MG) e seu filho, o ex-deputado estadual Gustavo Perrella (SD-MG), não foram presos na operação da Polícia Federal que apreendeu um helicóptero da empresa da família Perrella com 445 kg de cocaína por serem "blindados pelas suas relações com o poder".

"É notório que tal fato (apreensão do helicóptero com cocaína pela PF) não ensejou a prisão do senador, nem de seu filho, proprietário da empresa e deputado estadual (na época da operação, em 2013). Estes ficaram fora do alcance punitivo da guerra às drogas, blindados pelas suas relações com o poder", afirma a ex-deputada no documento de sete páginas encaminhado nesta terça-feira (8) à Câmara dos Deputados.

Na resposta, Luciana Genro ainda discorre sobre as consequências da guerra às drogas em todo mundo e cita um estudo da London School of Economics com critica à política de combate ao consumo de drogas.

É público e notório, e oficialmente quantificado, que os traficantes que encontram-se encarcerados são oriundos das...

Posted by Luciana Genro on Terça, 8 de setembro de 2015

Ao final, ela anexa uma reportagem sobre a apreensão do helicóptero dos Perrella em 2013. "O fato de um helicóptero da família do senador ser apreendido com 450 kg de cocaína é uma evidência que sustenta de forma concreta a suspeita de que os grandes traficantes não estão nas favelas e sim, inclusive, no Congresso Nacional", conclui Luciana Genro.

Twitter

A polêmica com a ex-parlamentar do PSOL começou no dia 19 de agosto, quando Luciana Genro questionou a política de combate às drogas no Brasil e afirmou em seu Twitter oficial que "a guerra às drogas atinge os pequenos traficantes. Os grandes não estão nas favelas, mas estão, inclusive, no Congresso". Na ocasião, o Supremo Tribunal Federal (STF) estava julgando a descriminalização do porte de drogas para consumo próprio e a deputada foi logo respondida por Marco Feliciano (PSC-SP) na rede social:

A partir de então, Marcos Feliciano recorreu ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para tomar providências sobre o episódio. Na semana passada, Luciana Genro recebeu uma notificação extrajudicial da procuradoria da Câmara cobrando que ela se explicasse por escrito sobre suas declarações polêmicas em cinco dias úteis.

Procurado pela reportagem, a assessoria do senador Zezé Perrella informou que ele está avaliando as medidas judiciais cabíveis contra a ex-deputada.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: