LGBT
03/09/2015 16:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

Tabeliã que se recusou a celebrar casamento gay vai presa nos EUA

ASSOCIATED PRESS
Rowan County, Ky. Clerk Kim Davis shows emotion as she is cheered by a gathering of supporters during a rally on the steps of the Kentucky State Capitol in Frankfort Ky. The U.S. Supreme Court on Monday, Aug. 31, 2015, ruled against Davis, who has refused to issue same-sex marriage licenses. (AP Photo/Timothy D. Easley, File)

Kim Davis, a tabeliã do Kentucky que se recusou a celebrar casamentos civis homossexuais por motivos religiosos, foi presa por desacato nesta quinta (3).

Davis negou licenças de casamento a gays que tentaram celebrar união no condado de Rowan, no Kentucky, desde que a Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu, em junho, que homossexuais têm o mesmo direito que os héteros de se casarem.

Do lado de fora da corte, manifestantes a favor e contra o casamento LGBT marcaram presença.

O juiz federal David Bunning ordenou que Davis permaneça presaaté que ela concorde em emitir as licenças de casamento conforme manda a lei.

"A corte não pode aceitar a desobediência intencional de sua ordem legalmente estabelecida. Se você der às pessoas a oportunidade de escolher a quais normas seguir, é o que potencialmente causa problemas", disse Bunning durante a audiência.

Entenda

Diante da aprovação do casamento LGBT pela Suprema Corte, Davis tentou obter uma liminar que lhe permitisse não realizar matrimônios homossexuais.

O apelo foi negado pela Suprema Corte nesta segunda (31) quando dois casais foram ao cartório acompanhados por veículos de imprensa, a fim de celebrar seus casamentos.

Apesar de já ter se divorciado três vezes, Davis citou sua fé católica para negar o direito aos dois casais. Ela alegou objeção de consciência e disse que responde a Deus, "uma autoridade superior à justiça americana".

(Com informações da Reuters)

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: