NOTÍCIAS
02/09/2015 13:33 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Em acareação, Vaccari se cala e ex-diretor da Petrobras acusa delator de mentir

(Reuters) - O ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, que está preso no Paraná no âmbito da operação Lava Jato, afirmou nesta quarta-feira que o empresário Augusto Mendonça, um

Montagem/Estadão Conteúdo

O ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, que está preso no Paraná no âmbito da operação Lava Jato, afirmou nesta quarta-feira (2) que o empresário Augusto Mendonça, um dos delatores do esquema de corrupção na estatal, mentiu ao acusá-lo de envolvimento no caso de desvio de dinheiro.

Duque fez a acusação durante acareação promovida pela CPI da Petrobras em Curitiba entre Duque, Mendonça e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

Duque e Vaccari não responderam a várias perguntas dos parlamentares, alegando orientação de seus advogados. O ex-diretor da estatal, no entanto, reiterou diversas vezes que Mendonça mentiu ao citá-lo como envolvido.

Questionado por deputados se mantinha as acusações contra Duque após ter sido chamado de mentiroso, Mendonça, ex-executivo da Toyo Setal e presidente da Setal Engenharia, afirmou que mantinha todas as suas afirmações.

“O senhor Augusto Mendonça é um mentiroso, mente na delação e sabe que está mentindo aqui, mas, por orientação dos meus advogados, vou permanecer em silêncio. Ele é um mentiroso contumaz. É um absurdo alguém dizer, na delação, que entregou vultosos recursos a uma pessoa chamada 'tigrão' [pessoa que receberia dinheiro em nome de Renato Duque, segundo Mendonça]”, disse Duque. “Confirmo tudo o que disse nos meus depoimentos”, rebateu Mendonça.

Em depoimento à CPI da Petrobras na Câmara dos Deputados em abril, Mendonça disse ter feito doações a diversos partidos, como o PSDB e o PR, mas foi específico ao afirmar que contribuições ao PT foram feitas a partir de pedido de Duque, diretor de Serviços da Petrobras à época.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: