NOTÍCIAS
31/08/2015 15:31 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Orçamento deficitário irrita oposição: 'Irresponsabilidade do governo'

Montagem/Estadão Conteúdo

"Mais uma irresponsabilidade do governo Dilma Rousseff", foi assim que o deputado Roberto Freire (SP), presidente do PPS, definiu a decisão do governo de entregar ao Congresso Nacional o projeto de lei do Orçamento para 2016 com previsão de déficit de 0,5% do PIB.

Isso significa que o governo não vai fechar a conta e já estima para o próximo ano gastar mais do que vai receber. Para a oposição, o Planalto transferiu aos parlamentares o desgaste da responsabilidade de escolher quais despesas serão cortadas.

De acordo com o vice-presidente Michel Temer, a estratégia foi escancarar o tamanho da crise e mostrar que não tem "maquiagem nas contas".

“Orçamento com déficit é uma coisa extremamente preocupante, mas está sendo feito assim, primeiro, para registrar a transparência absoluta das questões orçamentárias. Ou seja, não há maquiagem nas contas", disse ao G1.

O líder do DEM na Câmara dos Deputados, Mendonça Filho (PE) também criticou a proposta. Para ele, o orçamento para 2016 é a "consagração de um quadro de desastre econômico" e da "irresponsabilidade fiscal" do governo.

O deputado acrescenta que a decisão do governo sinaliza "claramente que o Brasil está cada vez mais próximo uma situação econômica que significará a perda do grau de investimento com gravíssimas consequências para a economia brasileira: perda de crédito e redução de investimento interno".

Para ele, isso vai comprometer ainda mais o nível de investimento e de geração de emprego.

O líder da oposição, Bruno Araújo (PSDB-PE) argumenta que o mais grave do orçamento deficitário é que ele traz embutido uma possível desobediência à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) por não haver equilíbrio entre receitas e despesas da União.

"A trapalhada de Dilma começou quando o governo antecipou a possibilidade da inclusão no orçamento da voltada CPMF para cobrir parte dos excessivos gastos governamentais. Com o novo recuo de Dilma devido à forte reação da sociedade contra a adoção de mais impostos, a presidente decidiu mandar ao Congresso um orçamento deficitário que põe em risco a nota de investimento do país", diz o tucano, em artigo publicado na página do PSDB.

A opoisção reagiu no Twitter:

(Com Estadão Conteúdo)

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: