NOTÍCIAS
29/08/2015 10:12 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Negro e com dreadlocks, professor da Universidade de Columbia é alvo de segurança em hotel de São Paulo

Reprodução/Facebook

Convidado para um seminário sobre a criminalização das drogas e de seus usuários, o professor norte-americano Carl Hart, da Universidade de Columbia, foi alvo de um segurança, que tentou abordá-lo antes do evento, nesta sexta-feira (28), em São Paulo. Negro e com dreadlocks, ele quase não teve a sua entrada permitida no Hotel Tivoli Mofarrej. Antes que ele fosse barrado, a organização tratou de liberá-lo, mas o estrago já estava feito.

“Olhem para o lado, vejam quantos negros estão aqui. Vocês deviam ter vergonha”, disse Hart, na abertura da sua palestra, de acordo com informações do site Justificando. Não havia nenhuma pessoa negra na plateia, formada por advogados, defensores públicos, psicólogos, assistentes sociais e áreas relacionadas.

Neurocientista e doutor em estudos do comportamento e efeitos do uso de drogas em seres humanos, o professor de Columbia veio ao evento do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM) justamente para abordar como a criminalização do uso de drogas ajuda a marginalizar ainda mais os usuários. O próprio Hart já foi um usuário de entorpecentes.

Acontece agora no #seminário21 a palestra "Criminalizar o uso de drogas para marginalizar ainda mais" do neurocientista...

Posted by IBCCRIM on Sexta, 28 de agosto de 2015

A situação que envolveu o professor de Columbia irritou o professor da USP Sérgio Salomão Shecaira, presidente da organização do seminário. “É bom para mostrar como vivemos em um País racista!”, afirmou, revoltado com a situação.

Nas redes sociais, foram muitos os brasileiros que procuraram “pedir desculpas” a Hart pelo incidente.

Vários brasileiros pediram desculpas ao doutor pelo incidente (Reprodução/Facebook)

Ao Justificando, o Hotel Tivoli Mofarrej negou ter barrado Hart, informando que “constantemente aborda todos os frequentadores para direcioná-los corretamente aos seus destinos”. Em nota, o hotel ainda pontuou que não compactua com qualquer tipo de discriminação e que seus funcionários são treinados.

Em 2014, Hart veio ao Brasil pela primeira vez, para lançar o seu livro Um Preço Muito Alto, um relato autobiográfico e científico sobre como sua juventude no gueto, envolvido com o crime e as drogas, moldaram sua visão acadêmica e política sobre o assunto. O professor participou ainda de um bate-papo com o médico brasileiro Drauzio Varella.

Hart ainda visitou comunidades carentes e universidades durante a passagem do ano passado no País.

Em seu livro, Hart defende a descriminalização - e não a legalização - das drogas, tornando o consumo de entorpecentes um assunto de saúde pública e educação, e não de repressão policial. Vale lembrar que há uma discussão em andamento sobre o assunto no Supremo Tribunal Federal (STF).

ATUALIZADO EM 31/08/2015, ÀS 11h: O professor Carl Hart esclareceu o episódio e disse que não tomou ciência da tentativa de abordá-lo na entrada no hotel. Veja mais aqui.