NOTÍCIAS
27/08/2015 12:29 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:31 -02

Liga das Heroínas: Tumblr revela absurdos machistas do mundo da publicidade

Reprodução

Não há nenhuma mulher entre os CEOs das vinte maiores agências de publicidade do Brasil.

Nos estratos mais baixos da carreira, o machismo também é onipresente. Para quebrar o silêncio, a publicitária Luíse Bello resolveu criar o Liga das Heroínas, Tumblr em que as profissionais do meio podem expôr situações de machismo que têm de enfrentar todo dia. Veja, abaixo, alguns casos:

É fácil saber quando a gente passa por um departamento de criação, especialmente em agências grandes. Trabalhei em uma em que toda semana tinha a “sexta de ouro”, também conhecida como “troféu sainha”. Os caras da criação usavam um grupo secreto no facebook para fazer uma votação da gostosa da semana. Uma vez eleita, eles davam um jeito de surpreender a menina e uns 30 caras cercavam ela, colocavam uma música alta e aplaudiam, gritando “gostosa”, “merece”, etc, e entregando o troféu. Cheguei a ouvir um dos caras gritando “essa eu até estuprava”. Todos riam.

- Publicitária que preferiu não se identificar

Um dos caras que sentava do meu lado me achou ~muito estressadinha~ um dia e resolveu anotar “todo dia 10” em um post-it, colar no monitor dele e dizer: “pronto, pra eu me preparar pra sua TPM"

- Daniella, Rio de Janeiro

Já presenciei muita coisa bizarra. Mas acho que a mais absurda foi o cara dizer em alto e bom som: “a menstruação deve ter subido pro cérebro dela” quando foi cobrado de algo que não tinha feito.

- Carol, São Paulo

Recentemente ouvi, nessas exatas palavras: “nem vem pra cima de mim com esse seu feminismo, não tenho culpa que você nasceu com buceta”. Fiquei absolutamente constrangida. A outra situação foi numa agência em que um chefe super machista passou a dizer que se a agência fosse uma borracharia, teria um calendário com fotos minhas pelada na parede, pois era isso que eles comentavam no futebol sobre mim. Falava isso na frente de qualquer pessoa.

- Thais, São Paulo

Uma vez estava numa reunião de briefing de uma marca grande de cosmético e o cliente diz: “sabe aquele dia que a mulher está precisando de uma injeção de auto estima e então coloca uma roupa bem curta e vai passar na frente da obra, pra ver se ganha um elogio?”. E eu: “NÃO. Não sei.” O cara trabalha há 12 anos para marcas dirigidas às mulheres e teve coragem de soltar uma merda dessas…

- Maíra, São Paulo

Nossa tantas coisas! Tive que pedir porfavorzinho para ser copiada nos e-mails. Tive ideias roubadas, meu diretor de arte sempre que tem a oportunidade faz um belíssimo trabalho de mansplaining me ensinando coisas que já sei. Fora coisas pequenas do dia a dia por exemplo eu querer consertar meu iphone e ele dizer “deixa que eu vou com vc pra eles verem que tem homem e não podem te roubar”.

- Publicitária que preferiu não se identificar

Após ler todos esses relatos de abuso, assédio e violência psicológica enraizados na profissão, dá para entender por que os anúncios publicitários são tão machistas .

A consequência é não só uma publicidade que divulga e reforça o machismo como também uma publicidade ineficiente, de péssima qualidade.

Como lembra esta reportagem da Agência Pública, 65% das mulheres brasileiras não se identificam com a publicidade e com a forma com que são retratadas pela publicidade, segundo pesquisa do Instituto Patrícia Galvão.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: