NOTÍCIAS
23/07/2015 15:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Financial Times compara crise no Brasil a 'filme de terror sem fim' e detalha cenas da 'podridão' no País

Montagem/Fotos Públicas/Esatdão Conteúdo

“Incompetência, arrogância e corrupção quebraram a magia do Brasil”. Foi com essa afirmação que o Financial Times abriu um editorial, publicado na quarta-feira (22), sobre o Brasil. Intitulado “Recessão e politicagem: a crescente podridão no Brasil”, o texto chega a comparar o Brasil com “filme de terror sem fim”, principalmente por causa de duas forças que fomentam a crise. A primeira é a maneira como a presidente Dilma Rousseff conduz a economia do País. A segunda, considerada a maior, é o escândalo de corrupção na Petrobras.

"Incompetência, arrogância e corrupção quebraram a magia do Brasil. Combinado com o fim do boom das commodities, tudo isso tem levado a oitava maior economia do mundo para uma recessão profunda. O escândalo de corrupção na Petrobras só agrava a podridão. Mais de 50 políticos e dezenas de empresários estão sob investigação por terem levado US$ 2,1 bilhões em propinas. Luiz Inácio Lula da Silva foi indiciado sob a acusação de tráfico de influência. Há cada vez mais rumores de que a presidente Dilma Rousseff, no sétimo mês do segundo mandato, pode ser cassada. Isso ainda parece improvável, mas a probabilidade cresce a cada dia.”

O jornal destaca que poucos acreditam que a presidente seja realmente corrupta, mas explica que isso não significa que ela esteja segura. "Dilma enfrenta acusações de que seu governo quebrou regras de financiamento de campanha e adulterou contas do governo, ambos motivos para impeachment.” De acordo com a publicação, políticos que preferiam a presidente do poder tendem a mudar de lado a medida que “tentam salvar suas peles”.

Para o Financial Times,"não é à toa que o Brasil hoje tem sido comparado a um filme de terror sem fim".

Apesar de falar em “podridão”, o Financial Times ressalta que as instituições brasileiras têm mostrado solidez com a prisão de grandes empreiteiros. "Em um país onde os poderosos dizem estar acima da lei, Marcelo Odebrecht, chefe da maior empresa de construção do Brasil, está preso. Esta semana, três executivos da Camargo Corrêa, outra construtora, receberam sentença de mais de dez anos na prisão."