NOTÍCIAS
21/07/2015 12:48 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Igreja e Forças Armadas são as instituições com maior confiança dos brasileiros, diz CNT/MDA (PESQUISA)

Wilton Junior/Estadão Conteúdo

A pesquisa da Confederação Nacional de Transporte (CNT), em parceria com o instituto MDA, divulgada na manhã desta terça-feira (21), mostrou não só o pensamento do brasileiro sobre o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) e a crise econômica, mas também apontou quais são as instituições nas quais a população mais confia.

Com 53,5%, a Igreja é a instituição mais confiável do Brasil, seguida pelas Forças Armadas (15,5%) e pela Justiça (10,1%). Já a polícia conta com a confiança de apenas 5% dos entrevistados.

Das favoritas da população, a Igreja tem sempre a confiança de 43% (11,7% disseram não confiar nunca). O dado é mais equilibrado no que diz respeito às Forças Armadas (19,2% confiam sempre e 17,2% não confiam nunca), mas desigual quando envolve a Justiça (10,5% confiam sempre e 24,8% não confiam nunca).

Na parte de baixo da preferência, as instituições menos confiáveis são os partidos políticos (0,1%), seguida do Congresso Nacional (0,8%), governo (1,1%) e pela imprensa (4,8%). A rejeição aos partidos é a maior de todas – 73,4% disseram não confiar nunca, dado que no caso do Legislativo federal alcança 51,6%.

Maioridade penal

Dos entrevistados pela pesquisa, 70,1% são a favor da redução da maioridade penal de 18 para 16 anos para qualquer tipo de crime, enquanto 18% são a favor somente para crimes mais graves, como homicídio ou latrocínio (roubo seguido de morte). Já 10,2% são contrários à medida.

Apesar da grande maioria ser favorável à redução da maioridade penal, apenas 34,9% vê a alteração como a mais adequada para reduzir a violência no País. O investimento na educação de crianças e adolescentes é vista como a melhor medida contra a violência para 68,3% dos entrevistados, enquanto policiamento (36,8%), maior investigação e prisões (26,4%) e mais presídios (10,6%) também foram mencionados.

O levantamento ouviu 2.002 pessoas entre os dias 12 e 16 de julho, em 137 municípios de 25 Estados. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.

LEIA TAMBÉM

- Os 15 retrocessos da gestão Eduardo Cunha na presidência da Câmara dos Deputados, pela minoria da Casa

- Senado aprova projeto que altera ECA e aumenta para 10 anos tempo de internação de menores

- Brasil só perde para Nigéria e é o 2º país que mais mata menores de 19 anos

- Redes sociais terão cada vez mais peso nas decisões políticas do Brasil