Como os recém-nascidos veem as pessoas e o mundo ao seu redor?

Pela primeira vez, cientistas na Suécia e Noruega simularam como as nossas expressões emocionais são vistas pelos olhos chorosos de um recém-nascido - e essa descoberta pode enterrar de vez uma discussão antiga sobre o assunto.

"Há muitos anos sabemos que os recém-nascidos têm uma visão fraca, eles não conseguem distinguir cores e têm baixa acuidade visual", disse ao The Huffington Post via e-mail o Dr. Svein Magnussen, professor emérito de psicologia da Universidade de Oslo, da Noruega, e coautor do estudo. "Sabemos agora que os recém-nascidos talvez sejam capazes de enxergar e possivelmente reagir aos rostos humanos e suas expressões faciais. Isso era objeto de discussões na psicologia do desenvolvimento."

Para o estudo, os pesquisadores produziram imagens em movimento de rostos adultos expressando várias emoções e filtraram as informações visuais que os recém-nascidos não podem perceber, segundo o The Telegraph. Os pesquisadores decidiram o que filtrar tendo como base estudos anteriores que indicavam como as crianças percebem uma nova estrutura, o contraste, espaço e outros sinais visuais.

(A matéria continua após a imagem)

O conjunto completo de imagens simuladas utilizadas no experimento contém as expressões faciais de adultos que se sentiam surpresos, felizes, irritados e neutros.

Os pesquisadores mostraram imagens de 48 adultos para determinar se os recém-nascidos poderiam perceber as expressões depois que alguns dados visuais tivessem sido eliminados.

"A partir desses dados criamos imagens dinâmicas com a má resolução e contraste de recém-nascidos e argumentamos que, se um adulto pudesse fazer o que foi apresentado, uma criança recém-nascida, em princípio, também poderia fazê-lo", disse ao The Huffington Post por e-mail o coautor do estudo, Prof. Claes von Hofsten, professor de psicologia na Universidade de Uppsala, da Suécia. "No entanto, se um adulto não puder fazer o que foi mostrado, um recém-nascido não poderia fazê-lo também."

O que os pesquisadores descobriram? Os adultos identificaram corretamente expressões em três dos quatro rostos quando os viam a uma distância de 30 centímetros. Tendo como base o quanto os adultos podem assimilar as emoções nas simulações, os pesquisadores concluíram que recém-nascidos de até dois dias também poderiam ver as expressões dos pais a uma distância de cerca de 30 centímetros, que é aproximadamente a mesma distância entre uma mãe amamentando e seu bebê.

Mas quando a distância aumenta, a taxa de identificação das expressões caía para o que é geralmente esperado por pesquisadores em testes aleatórios - o que sugere que a visão dos bebês é muito borrada para perceber expressões além dessa distância.

Os pesquisadores observaram que eles só examinaram o que recém-nascidos podem ver e não se eles são capazes de compreender o que viam. Portanto, mais pesquisas são necessárias para determinar se os recém-nascidos entendem - e podem imitar - as expressões faciais.

"Nossa posição agora é esta: já foi criada uma base. Se alguém mais quiser dar continuidade ao estudo, a decisão fica inteiramente ao seu critério", disse Magnussen em um comunicado.

O estudo foi publicado na edição de novembro 2014 do Journal of Vision.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.