NOTÍCIAS
18/07/2015 12:20 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Nove meses depois de acidente na F1, morre piloto Jules Bianchi

isifa via Getty Images
SUZUKA, JAPAN - OCTOBER 05: Jules Bianchi of France and Marussia arrives for the drivers' parade prior to the Japanese Formula One Grand Prix at Suzuka Circuit on October 5, 2014 in Suzuka, Japan. (Photo by Jiri Krenek/isifa/Getty Images)

O piloto francês Jules Bianchi, que sofreu um acidente no GP do Japão da temporada 2014 da Fórmula 1, morreu nesta sexta-feira. Foi a primeira morte de um corredor na categoria desde Ayrton Senna, em 1994. Bianchi colidiu com um guidaste em sua última corrida e se encontrava internado desde então.

Aos 25 anos, o piloto sofria de um quadro de lesão axonal difusa, que ocorre quando o cérebro da pessoa se movimenta de forma brusca dentro do crânio. O acidente ocorreu após o piloto bater em um guindaste que havia entrado na pista para remover o carro do piloto Adrian Sutil, que sofrera um acidente pouco antes.

Após ser levado para o hospital e submetido a uma cirurgia de quatro horas de duração, ficou em coma no Japão durante dois meses, sendo transferido posteriormente para um hospital em Nice, na França. A notícia de sua morte foi divulgada pela família através das redes sociais.

"Jules lutou bravamente, como sempre fez, mas hoje sua batalha chegou a um fim", escreveram Philippe e Christine Bianchi, pais de Jules.

A carreira de Bianchi na Fórmula 1 iniciou em 2011, quando o corredor virou piloto de testes da Ferrari. Contratado pela Marussia em 2013, o francês permaneceu na equipe até a ocasião de seu acidente, na última temporada.

O ocorrido foi investigado pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo), que se limitou a comentar que o piloto não havia reduzido a velocidade o suficiente antes de fazer a Curva 7 de Suzuka. O trator com o guindaste mal foi mencionado.