NOTÍCIAS
17/07/2015 17:28 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Big Mac brasileiro está entre os 10 mais caros do mundo, diz The Economist

Bloomberg via Getty Images
A McDonald's Corp. Big Mac meal is arranged for a photograph outside of a restaurant in San Francisco, California, U.S., on Wednesday, Jan. 22, 2014. McDonald's Corp., the world's largest restaurant chain, posted fourth-quarter profit that was little changed from a year earlier as U.S. same-store sales fell amid shaky consumer confidence and increased competition. Photographer: David Paul Morris/Bloomberg via Getty Images

O Brasil tem o 9º Big Mac mais caro do mundo, de acordo com o Big Mac Index (ou Índice Big Mac), elaborado todos os anos pela revista The Economist.

Custando R$ 13,50 (o equivalente a US$ 4,28), o lanche está mais caro do que em países da Zona do Euro, da Austrália, do Chile, Peru, Colômbia, Uruguai, Tailândia, Coreia do Sul, Nova Zelândia, Costa Rica, China, Polônia, entre outros.

À frente do Brasil aparecem países como o Reino Unido, Israel, Estados Unidos, Suécia, Noruega e Suíça (veja abaixo a lista dos países que lideram a lista).

O ranking não mostra apenas os países onde seria mais barato comer no McDonald's. Na verdade, ele é uma ferramenta que mostra a variação das taxas de câmbio em relação ao dólar, ou seja, se outras moedas se valorizaram ou subvalorizaram a cada medição. A revista acompanha 43 moedas ao redor do mundo e publica o índice a cada semestre.

O Índice Big Mac é baseado na teoria da Paridade do Poder de Compra (PPP, em inglês), ou seja, o poder de compra da população em um país. Ele compara um único produto -- o famoso Big Mac -- por ser um lanche que utiliza os mesmos ingredientes em todas as franquias da rede McDonald's.

O estudo aponta quais moedas estão valorizadas e subvalorizadas diante do dólar. Se o preço do Big Mac num determinado país estiver maior que o preço nos Estados Unidos (US$ 4,79), a moeda está valorizada e, se estiver abaixo, subvalorizada (ou barata).

Como no Brasil o lanche custa o equivalente a US$ 4,28, a revista pressupõe que o real está subvalorizado em 10,6%. Esta é a primeira vez, desde 2007, que a moeda brasileira aparece subvalorizado. Em janeiro deste ano, por exemplo, o Brasil tinha o 4º Big Mac mais caro do mundo -- o que significa uma queda de cinco posições em seis meses!

Apesar de ser uma boa ferramenta, o índice não é uma medida precisa para comparar quais moedas estão caras ou baratas, uma vez que ele leva em consideração apenas o preço do produto e não outras importantes variáveis, como o custo da mão de obra no país.

Veja abaixo os 10 países mais caros para comer um Big Mac:

Galeria de Fotos 10 países mais caros para comer Big Mac Veja Fotos