NOTÍCIAS
10/07/2015 20:24 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:40 -02

Ex-dirigente da Fifa investigado por corrupção concorda com extradição aos EUA

NOVA YORK (Reuters) - Jeffrey Webb, um dos sete dirigentes de futebol detidos na Suíça em uma investigação sobre corrupção na Fifa, concordou em ser extraditado para os Estados Unidos, informou a

FABRICE COFFRINI via Getty Images
A sign of the FIFA is seen under eavy clouds on May 30, 2015 at the top of World football governing body's headquarters in Zurich. FIFA president Sepp Blatter said he was 'shocked' at the way the US judiciary has targeted football's world body and slammed what he called a 'hate' campaign by Europe's football leaders. AFP PHOTO / FABRICE COFFRINI (Photo credit should read FABRICE COFFRINI/AFP/Getty Images)

Jeffrey Webb, um dos sete detidos na Suíça numa investigação sobre corrupção na Fifa, foi o primeiro a concordar em ser extraditado para os Estados Unidos nesta sexta-feira.

Depois da prisão de Webb em 27 de maio, a Fifa e a Confederação da América do Norte, Central e do Caribe (Concacaf) suspendeu provisoriamente Webb de seus cargos.

A Justiça suíça não detalhou quando o dirigente será enviado aos Estados Unidos sob escolta da polícia norte-americana, mas disse que a transferência deve ocorrer em um prazo de 10 dias.

Entre os sete presos, que foram detidos em uma operação da polícia suíça em um hotel de luxo de Zurique, está o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) José Maria Marin.

As prisões provocaram um escândalo envolvendo a Fifa e levaram o presidente da entidade responsável pelo futebol mundial, Joseph Blatter, a renunciar, no começo de junho.