NOTÍCIAS
08/07/2015 18:26 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Recordar é viver: há um ano, teoria da conspiração "denunciava" compra do 7 a 1

ADRIAN DENNIS via Getty Images
Brazil's defender Thiago Silva (R) conforts Brazil's defender David Luiz after the semi-final football match between Brazil and Germany at The Mineirao Stadium in Belo Horizonte during the 2014 FIFA World Cup on July 8, 2014. AFP PHOTO / ADRIAN DENNIS (Photo credit should read ADRIAN DENNIS/AFP/Getty Images)

“Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa do Mundo, ficariam enjoadas”. Era com essa frase que iniciava um dos maiores virais do ano de 2014. Logo após o Brasil tomar a goleada histórica de 7 a 1 contra Alemanha, uma teoria da conspiração assinada por “Gunther Schweitzer” (da Central Globo de jornalismo) denunciava um esquema milionário para o Brasil perder a Copa.

Para quem não se deparou com o texto, ele dizia que “Ronald Rhovald” teria entregue 23 milhões de reais para o Brasil vender a Copa. Também dizia que Neymar havia se recusado a entrar no esquema e isso o tirou da semifinal.

Apesar de ter sido compartilhado incessantemente (por zoeira ou não), é claro que o texto era só uma pegadinha. A prova de que a teoria é falsa é que o mesmo texto tem sido usado desde a Copa de 1998 (para quem não sacou, Ronald Rhovald é quase Ronaldo Rivaldo) todas as vezes que a seleção perde partidas importantes ou em outros casos (Corinthians perder a Libertadores, Espanha perder a Copa).

Quando a pessoa que assinou a “denúncia”, ela existe. Gunther Schweitzer nada mais é um sujeito que repassou a corrente e esqueceu de apagar a assinatura no e-mail. Desde então, ele virou o “homem que entrega os podres dos eventos esportivos”.

Esse texto está publicado no Boatos.org. Clique aqui para entender mais sobre a história.