NOTÍCIAS
07/07/2015 11:55 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Fidel Castro envia carta cumprimentando primeiro-ministro da Grécia por vitória do 'não' em referendo

Montagem/AP Photo

"O felicito calorosamente por sua brilhante vitória política". Assim começa a carta redigida pelo líder cubano Fidel Castro ao primeiro-ministro grego Alexis Tsipras.

De acordo com o jornal cubano Granma, Castro encaminhou a correspondência neste domingo (5), para cumprimentar o líder após a vitória do "não" no referendo realizado no mesmo dia. A maioria dos gregos - 61,3% - resolveu não aceitar as medidas de austeridade propostas pelos credores do país.

O atual dirigente do país, Raúl Castro, também se manifestou, afirmando que o resultado demonstra "o apoio majoritário do povo grego a valente política de governo".

Com o resultado, a Grécia entra em uma nova rodada de negociações com a troika e autoridades da Zona do Euro se reúnem para tentar evitar a saída do país da moeda comum.

Leia abaixo a íntegra da carta.

"Excelentíssimo Senhor Alexis Tsipras

Primeiro-ministro da Grécia:

O felicito calorosamente por sua brilhante vitória política, cujos detalhes acompanhei pelo canal Telesur.

A Grécia é muito familiar para os cubanos. Ela nos ensinou Filosofia, Arte e Ciências da Antiguidade quando estudávamos na escola e, com elas, a mais complexa de todas as atividades humanas: a arte da ciência e da política.

Seu país, especialmente sua valentia na conjuntura atual, desperta admiração entre os povos latino-americanos e caribenhos deste hemisfério ao ver como a Grécia, diante de agressões externas, defende sua identidade e sua cultura. Também não nos esquecemos de que um ano depois do ataque de Hitler a Polônia, Mussolini ordenou que suas tropas invadissem a Grécia, e esse país valente rechaçou a agressão e fez com que os agressores retrocedessem, o que obrigou o avanço de unidades blindadas alemãs em direção a Grécia, desviando-se do objetivo inicial.

Cuba conhece o valor a e capacidade combativa das tropas russas, que unidas às forças de sua poderosa aliada, a República Popular da China, e outras nações do Oriente Médio e da Ásia trataram sempre de evitar a guerra, mas jamais permitiram uma agressão militar sem que houvesse resposta contundente e devastadora.

Na atual situação política do planeta, onde a paz e a sobrevivência da nossa espécie estão por um fio, cada decisão, mais do que nunca, deve ser cuidadosamente desenvolvida e implementada, de modo que ninguém possa duvidar da honestidade e da seriedade com que muitos dos dirigentes mais sérios e responsáveis lutam para enfrentar as calamidades que ameaçam o mundo.

Desejamos e você, estimadíssimo companheiro Alexis Tsipras, o maior dos sucessos.

Fraternalmente,

Fidel Castro Ruz"