NOTÍCIAS
04/07/2015 14:33 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Garota não é aceita em aula de robótica 'apenas para meninos' e cria petição online para reivindicar seu direito à aula

Reprodução

A pequena Cash Cayen, da cidade de Timmins, Ontário, no Canadá, passa muito tempo na biblioteca — e foi lá que ela viu um anúncio sobre aulas de verão sobre robótica. Naturalmente, a garota ficou empolgada e tentou se inscrever. Foi então que ela recebeu a notícia que o curso era “apenas para garotos“. Mas ela não desistiu facilmente.

Cash lançou uma petição online para conseguir se inscrever no curso:

“Hoje eu tentei me registrar numa aula de robótica que a biblioteca da nossa cidade está oferecendo e fui rejeitada por ser uma garota“, ela escreve no site da petição. Ela segue explicando a situação, falando que explicou ao diretor assistente da biblioteca sobre o seu interesse. Mas sua inscrição continuou sendo recusada por causa da cláusula de “apenas para garotos”.

O diretor, no entanto, fez uma contraproposta para Cash: se as garotas se mostrassem suficientemente interessadas pela aula, a biblioteca permitira que elas se inscrevessem no programa no futuro. Até agora, mais de 27 000 pessoas assinaram sua petição — e não foram apenas os internautas que notaram a luta da garotinha.

A atriz Andrea Libman publicou em seu perfil oficial no Facebook uma mensagem de apoio, assim como outras mulheres ligadas à área de robótica no país inteiro.

Shame on you Timmons Public Library! Girls and boys should be able to participate in all programming as equals! https://t.co/lEgP79nce7

Posted by Andrea Libman on Quarta, 1 de julho de 2015

Não demorou muito tempo até que a biblioteca pública pedisse desculpas, esclarecendo o “desentendimento” e anunciando que todas as crianças de 9 a 12 anos são bem-vindas — você pode ler a carta completa no Buzzfeed.

E o mais bacana? A petição de Cash pode ter sido regional, mas a sua atitude chamou atenção para um problema muito maior (e muito frequente): garotas precisam de encorajamento para o acesso às áreas da ciência e engenharia. Mandou bem, Cash!