NOTÍCIAS
03/07/2015 19:02 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Lava Jato: ‘Não sou nenhuma besta fera', diz Sérgio Moro

Montagem/Reprodução/Estadão Conteúdo

Responsável pela condução da Operação Lava Jato, o juiz federal Sérgio Moro rebateu, nesta sexta-feira (3), as reclamações de vazamento seletivo. “Não sou nenhuma besta fera”, disse, segundo o jornal O Globo, quando foi questionado sobre a pressão pelo jeito que orienta o julgamento.

Moro também criticou o foro privilegiado. Segundo ele, o instrumento não preserva o princípio da igualdade, mas, como forma de maior controle da administração pública, é algo positivo.

“Pensando em outra forma, como um mecanismo de proteção (de figuras públicas), eu tenho dúvida da sua validade. Como eu gostava muito de revista em quadrinho, lembro daquelas fases do Homem-Aranha onde dizia 'quanto maior o poder, maior a responsabilidade'. Acho que o sistema tem que ser construído em cima disso.”

O juiz evitou fazer comentários sobre a operação, mas disse que as prisões decretadas no decorrer das investigação são uma “exceção".

“Em geral, no mundo inteiro, a prisão no decorrer do processo é, e deve ser, uma exceção. Mas, na minha perspectiva, as prisões decretadas no Lava Jato são excepcionais.”

Para ele, o sistema jurídico brasileiro tem que ser reformulado para funcionar de forma eficiente. Sérgio Moro defendeu alterações, por exemplo, nas regras que tratam da prisão no decorrer do processo e do princípio de presunção de inocência, uma garantia dada ao acusado de somente sofrer uma sanção penal após a sentença final.

Na opinião dele, isso impede ou dificulta prisões durante o processo. “A Justiça, quando tarda muito, não é uma Justiça completa. Isso tem que sofrer alterações.”

(Com Agência Brasil)