COMPORTAMENTO
01/07/2015 18:15 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:35 -02

7 situações que não têm nada a ver com estupro e que ilustram perfeitamente a ideia de consentimento

Alli Kirkham

"Ela pediu", "Ela quis", "Quem mandou andar vestida assim?", "A roupa estava curta demais", "Andando na rua a essa hora? Ia dar nisso, mesmo", "Tem mulher que gosta", "Você é minha".

Quantas vezes frases como essas foram usadas para justificar um estupro ou qualquer outro tipo de violência sexual contra as mulheres?

Não dá para contar. Acontece o tempo todo e com a maioria das mulheres ao redor do mundo. Segundo pesquisa realizada pela RAINN, uma organização anti-violência sexual dos EUA, 47% dos estupradores são amigos ou conhecidos das vítimas. Aqui no Brasil, pesquisas também comprovam que a cultura do estupro é algo quase que institucionalizado -- e que, na maioria dos casos, a culpa recai sobre a vítima e não sobre o agressor.

A ideia de consentimento e a culpabilização da vítima ainda são discursos extremamente presentes neste tipo de situação. Mas o quadrinista Alli Kirkham publicou no Everyday Feminism um quadrinho com sete situações do dia a dia que podem explicar -- para quem não entende -- a ideia de consentimento. É simples: quando ele/ela estiver a fim, você vai saber. Flerte é bom quando é convidado. Caso contrário, preste atenção nestas situações abaixo (a ilustração está em inglês, mas traduzimos de forma livre):

1. Você tem que ficar até o fim...

- Quer assistir Pulp Fiction?

- Claro

(Meia hora depois...)

- Ahn, eu não estou gostando muito disso. Vamos fazer outra coisa.

- Não! Você disse que queria assistir ao filme, então você tem que ficar até terminar.

2. Mas você disse que eu podia fazer isso...

- Obrigado por me emprestar o seu carro.

- Sem problemas!

(Na semana seguinte...)

- O que você está fazendo?

- Pegando seu carro emprestado. Você disse que eu poderia.

- Você não pode pegar o meu carro sempre que quiser.

- Que besteira! Você disse que eu poderia uma vez, então eu posso fazer isso sempre que precisar.

3. Você disse que gostava...

- Eu realmente gosto da nova música da "Fluffy Bunny's"

(No meio da noite...)

- Oh, o que é isso?

- Você disse que gostava desta música...

- Sim, mas não quero escutá-la enquanto estou dormindo!

4. Você disse que queria...

- Então, quero fazer uma tatuagem aqui, algum dia. Bem aqui.

(Enquanto ele está inconsciente...)

-Você fez uma tatuagem em mim enquanto eu dormia? O que há de errado em você?

-Você disse que queria...

- Mas eu não quero fazer algo assim enquanto estou inconsciente e sem saber o que estava acontecendo!

5. Você é minha esposa e este é o seu dever...

- Obrigada por fazer este café da manhã, querida.

- De nada!

(Na manhã seguinte)

- Cadê o café da manhã?

- Ah, não quis cozinhar. Coma um cereal.

- Você é minha esposa e é seu dever cozinhar para mim. Agora vá e faça alguns ovos ou você pagará por isso!

6. Você me deve isso...

- Comprei cartas. Agora posso ensinar você a jogar poker.

- Legal!

(Algum tempo depois...)

- Agora que eu sei as regras, não acho que este jogo é para mim.

- Você não pode me convidar para um jogo de cartas e não jogar. Eu aprendi tudo isso por você, então você me deve esta partida.

7. Você pediu por isso...

- Ei, você! Venha aqui pegar isso.

(Depois...)

- Mas eu não quero carregar estas coisas. Pare!

- Bom, você está com uma roupa que mostra os seus músculos. Você está pedindo para carregar estas coisas! Não me culpe.

(H/T upworthy, everydayfeminism, bored panda)