NOTÍCIAS
30/06/2015 20:15 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

Por que precisamos parar de chamar alimentos não-saudáveis de ‘processados'

flickr/ Just Simply Health

Trívia: qual dos alimentos a seguir é considerado processado: Sucrilhos Kellogg’s, iogurte grego feito em casa, espinafre embalado? (Resposta: todos.)

A questão é que “alimento processado” inclui uma variedade muito mais ampla de produtos que a maioria dos consumidores associa com esse termo.

Além disso, nem toda a comida processada é má. Alimentos processados podem ser convenientes, como espinafre embalado, ou seguros, como ovos pasteurizados, e podem até mesmo ser saudáveis.

“A ideia de evitar toda comida processada é loucura”, disse ao The Huffington Post o especialista em dietas Dawn Jackson Blatner.

O iogurte é uma comida processada. Vagens enlatadas, que não contêm nenhum outro ingrediente além das vagens, são processadas porque foram cozidas e enlatadas.

As comidas extremamente processadas são outra coisa, diz Dawn – e é aí que as coisas ficam complicadas para os consumidores.

Pode parecer uma questão semântica – afinal de contas, quem fala em “processado” espera que o outro entenda “não saudável” --, mas a falta de uma definição oficial clara para o que é uma comida altamente processada é extremamente controversa entre os nutricionistas.

Um novo estudo publicado em maio no American Journal of Clinical Nutrition tenta esclarecer e definir o que o termo significa exatamente.

O governo americano define comida processada como “qualquer comida que não seja um produto agrícola cru e inclui qualquer produto agrícola cru que tenha sido submetido a processamentos, tais como enlatar, cozinhar, congelar, desidratar ou moer”.

Parece claro o suficiente. Mas não existe uma definição para comidas extremamente processadas -- o que nutricionistas como Blatner dizem que deveríamos evitar comprar no supermercado.

Como escrevem os autores do estudo, “a definição do governo americano de ‘comida processada’ – qualquer comida que não seja um produto agrícola cru – inclui de legumes congelados e frutas secas a feijão enlatado e pão integral, cereais e refeições prontas a doces e refrigerantes”.

Basicamente, qualquer categoria que inclua refrigerantes e legumes congelados é ampla demais para que os consumidores sejam capazes de tomar decisões informadas.

Para ajudar a entender melhor as coisas, os pesquisadores dividiram 1,2 milhão de alimentos em quatro categorias distintas: processamento mínimo, processamento básico, processamento moderado e alto processamento.

No estudo, os alimentos de alto processamento foram definidos como “misturas de múltiplos ingredientes formuladas industrialmente e processadas a ponto de não serem mais reconhecíveis como a fonte original animal ou vegetal”.

Americanos compram comidas altamente processadas em grandes quantidades.

Segundo o estudo, 61% das calorias consumidas pelos americanos vêm desse tipo de alimento, incluindo pão feito com farinha refinada, frios, refrigerantes, álcool, molhos e pastas como homus. Essas comidas também têm teor mais alto de gordura, açúcar e sódio que as menos processadas.

Fora dos laboratórios, não é realista dividir o carrinho do supermercado em quatro categorias. O que fazer, então? Para começar, Blatner recomenda ler as informações dos rótulos de baixo para cima, começando pela lista de ingredientes.

Existem alguns pontos importantes para prestar atenção: químicos que você não usa na sua cozinha; açúcar e farinha refinadas; adoçantes artificiais; colorantes e flavorizantes; e conservantes (ingredientes que começam com siglas, como BHA e BHT).

Quanto mais desses ingredientes, maior a chance de que o produto é altamente processado e provavelmente não é uma escolha inteligente do ponto de vista nutricional.

Eis a mensagem importante: as pessoas estão usando a mesma palavra para se referir a duas coisas muito diferentes.

Os fabricantes dizem que toda comida é processada, ignorando o fato de que nem todos os alimentos processados têm os mesmos perfis.

Os defensores de uma alimentação saudável, por sua vez, podem usar o termo de forma muito solta, chamando de processada todas as comidas que consideram não saudáveis.

“Não se trata de demonizar as comidas processadas”, diz Blatner. “Vamos usar um outro termo – processamento extremo – e aí definir as coisas juntos.”

Então eis algumas comidas que são surpreendentemente processadas – mas ainda assim saudáveis:

Ovos pasteurizados

Nível de processamento: Mínimo. Os ovos são aquecidos a uma temperatura alta o suficiente para matar as bactérias, o que os torna seguros para o consumo.

Por que é saudável: Ovos são considerados o padrão ouro para proteínas de alta qualidade e podem aumentar o nível de HDL, o “bom” colesterol.

Suco espremido a frio

Nível de processamento: Básico. A fruta é espremida para a extração do suco, sem produção de calor, o que poderia provocar perda de nutrientes.

Por que é saudável:Uma dieta com muitas frutas e vegetais pode afastar riscos de derrames e ataques cardíacos e prolongar sua vida. Ainda assim, é melhor comer as frutas, em vez de tomar o suco – um estudo de 2013 mostrou que comer as frutas reduz o risco de diabetes tipo 2, enquanto tomar o suco na verdade aumenta o risco.

Iogurte grego puro

Nível de processamento: Básico. Culturas vivas de iogurte são adicionadas a leite pasteurizado, e depois retira-se o soro, o que faz o iogurte ficar mais grosso.

Por que é saudável:Os probióticos naturais do iogurte grego ajudam a manter uma barriga saudável. O iogurte grego também tem muita proteína

Vagem enlatada

Nível de processamento: Básico. A vagem é lavada e enlatada sob pressão para evitar a presença da bactéria que causa o botulismo. Vagens enlatadas custam pouco e são fáceis de usar na cozinha.

Por que é saudável: As vagens são enlatadas no auge do frescor e contém cálcio e vitaminas C, K e A (mesmo assim, a vagem fresca tem níveis mais altos de vitaminas e minerais). Certifique-se de que não está comprando produtos com adição de sódio ou açúcar.

Damasco seco

Nível de processamento: Mínimo. Retirar as sementes e secar o damasco preserva a fruta e facilita o transporte.

Por que é saudável: Damascos secos são boa fonte de fibras e contêm níveis de ferro e potássio mais altos que os da fruta fresca.

Pão 100% integral

Nível de processamento: Moderado. O pão está um pouco distante de seus ingredientes originais. O trigo é convertido em farinha, mas sem remover o farelo e o germe, e combinado com água, fermento, ovos, óleo, sal e açúcar.

Por que é saudável: Grãos integrais são boa fonte de fibras, bem como de selênio, magnésio e potássio.

Peru congelado

Nível de processamento: Mínimo. O congelamento preserva as carnes e impede a multiplicação de bactérias.

Por que é saudável:Peru tem vitamina B, que ajuda o desenvolvimento do cérebro do bebê durante a gravidez, além de fósforo (https://www.huffingtonpost.com/2014/11/26/turkey-health-benefits-thanksgiving_n_6201446.html), que garante dentes e ossos saudáveis.

Azeite extra virgem

Nível de processamento: Básico. A produção do azeite tem várias etapas, incluindo lavagem das azeitonas e a extração do óleo, usando prensas.

Por que é saudável:O azeite contém ácidos graxos monoinsaturados, considerados bons para o coração.

Queijo

Nível de processamento: Moderado. Fazer queijo é um processo complexo. Veja aqui uma receita em 21 passos ilustrados.

Por que é saudável: Um estudo recente associou uma dieta rica em queijo a menor risco de obesidade e metabolismo mais rápido. Dito isso, melhor consumir queijo moderadamente -- como tudo o que é bom.

Chá verde

Nível de processamento: Mínimo. As folhas de chá são vaporizadas, enroladas e secas, o que causa oxidação.

Por que é saudável: Chá verde contém catequinas, que foram associadas a baixo índice de gordura corporal e redução da obesidade.

Amêndoas descascadas

Nível de processamento: Mínimo. A retirada da casca aumenta a conveniência. Depois de dois surtos de salmonela na Califórnia no começo do século, a agência do governo americano que regula alimentos exige que todas as amêndoas (até mesmo as “cruas”) sejam pasteurizadas (https://www.huffingtonpost.com/2014/01/05/almond-facts-didnt-know_n_4537970.html) antes da comercialização.

Por que é saudável: Amêndoas contêm mais cálcio que qualquer outra noz, bem como proteínas e gorduras saudáveis para o coração.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Alimentação saudável começa muito antes da refeição

- Alergia alimentar: um problema de todos

- Dieta da Fertilidade: alimentos que ajudam casais a engravidar

.