MUNDO
29/06/2015 22:55 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

Como gritar "Messi" ajudou este argentino a se livrar de um sequestro na Nigéria

Reprodução / Facebook

Depois de passar pela angustiante experiência de ser refém, Santiago Lopez Menendez está finalmente seguro na embaixada argentina em Abuja, na Nigéria, depois de ter sido libertado por seus sequestradores. E há um homem que ele quer agradecer: Lionel Messi.

O engenheiro agrônomo argentino de 28 anos foi sequestrado na quarta-feira passada enquanto trabalhava num projeto agrícola na Nigéria. No domingo, o jornal argentino Clarin falou com o irmão de Menendez, que disse que Santiago queria agradecer Messi para salvá-lo.

Messi, no entanto, está bem longe de Nigéria agora. Ele não salvou Menendez numa missão heróica ou pagou pelo resgate - esse último ficou com a Flour Mills, a empresa nigeriana para qual Menendez trabalhava. Messi joga nesta terça-feira (29) na Copa América, no Chile. Então, como poderia ele ter ajudado seu compatriota a fugir do cativeiro?

Como relata o Clarin, Menendez viajava sozinho quando foi sequestrado por homens fortemente armados e colocado numa van. Os sequestradores, que não falavam inglês, espancaram o argentino e o deixaram sem comida, água e sem dormir. Quando Menedez começou a suspeitar que ele estava sendo tratado mal porque seus sequestradores achavam que ele era americano, tentou explicar que ele era argentino, mas não obteve sucesso.

O problema só teria sido resolvido quando Menedez passou a gritar "Messi! Messi! Messi!". Só então os sequestradores perceberam que ele não era americano. Depois disso, Menedez viu seu tratamento em cativeiro melhorar até que ele foi libertado no sábado pela manhã, segundo disse um porta-voz da polícia nigeriana à AFP. E Lionel Messi salvou a vida de um homem sem nem saber.