NOTÍCIAS
24/06/2015 18:32 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Os 28 anos de Messi em 28 Vines que comprovam que ele é um extraterrestre

Manu Fernandez/AP
Barcelona's Lionel Messi celebrates after scoring the opening goal during the Champions League semifinal first leg soccer match between Barcelona and Bayern Munich at the Camp Nou stadium in Barcelona, Spain, Wednesday, May 6, 2015. (AP Photo/Manu Fernandez)

Lionel Messi completa 28 anos nesta quarta-feira (24). O jogador mais importante das últimas décadas do futebol - e há quem diga, de toda a história - impressiona pela capacidade como destroça adversários, recordes e mantém a capacidade de parecer alheio a tudo. Parece que não o emociona.

São 412 gols em 482 jogos pelo Barcelona. É o maior artilheiro da história do Campeonato Espanhol (286) e da Champions League (77). Já são 24 títulos com a camisa do clube catalão. Apesar de um rendimento abaixo do obtido no clube azul e grená, com a seleção argentina Messi já foi campeão olímpico e deixou para trás o mítico Diego Maradona na artilharia do país. Na frente dele apenas o atacante Gabriel Batistuta.

Para celebrar tudo isso, o Brasil Post fez uma seleção de 28 momentos épicos do jogador nascido em Rosário. Confira:

Adeus, Boateng

O simulacro de Maradona em 86

O gol na final da Copa do Rey de 2015

O crescimento dele desde que chegou ao Barcelona

Quando ele decidiu driblar meio time adversário em camera lenta

Essas canetas aqui…

… e mais essas

Esse chapéu no goleiro

try{



Ou esse (o primeiro gol marcado por ele na Champions League)

Esse golaço de falta

E esse (contra o Real Madrid)

Esse golaço aos 16 anos

Ou um freestyle com uma bolinha de tênis

Um golzinho na Copa do Mundo de 2014

Uma cavadinha no pênalti

Um chute despretencioso contra o Brasil

Um golaço de fora da área contra o Manchester United na final da Champions de 2011

Essa fila de adversários deixados comendo poeira

Um hat-trick contra o Real Madrid

Esse golaço contra o maior rival na semifinal da Champions

E mais cedo, no mesmo jogo, ele já havia marcado esse

O gol, de peito, na final do Mundial contra o Estudiantes

Uma corrida até o gol

Uma espinha quebrada pelo caminho

Quando ele parou no ar para marcar contra o United na final da Champions de 2009

Uma arrancada que termina num toque maldoso no contrapé do goleiro

Três toques na bola: domina, aplica uma caneta e encobre o goleiro. A síntese do gênio