NOTÍCIAS
18/06/2015 19:30 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Quem diria... Americanos preferem que filhos joguem futebol em vez de futebol americano

PAUL J.RICHARDS via Getty Images
Zachary, UNITED STATES: Children play with soccer balls at Northwestern Elementary School 07 September 2005 in Zachary, Louisiana, where 75 children were accepted for the Fall 2005 school year after being displaced by Hurricane Katrina. School districts around the US are taking in hundreds of thousands of children who need to get back to school since their own schools were damaged or destroyed by Hurricane Katrina, the worst natural disaster in US history. AFP Photo/PAUL J. RICHARDS (Photo credit should read PAUL J.RICHARDS/AFP/Getty Images)

Os americanos são muito mais propensos a sugerir que crianças comecem a praticar esporte jogando futebol em vez de futebol americano, segundo uma nova pesquisa.

A pesquisa, realizada pelo YouGov a pedido do The Huffington Post, descobriu que 24% dos entrevistados escolheram futebol quando questionados que esporte sugeririam “se uma criança que não faz esportes quisesse começar a praticar”. Só 4% dos entrevistados escolheram futebol americano, e 1% escolheram hóquei.

O futebol ficou em segundo lugar, atrás apenas de beisebol e softball, que juntos tiveram 30% da preferência. O basquete ficou com 15%; 17% disseram que não tinham certeza; e 9% escolheram um esporte que não estava listado na pesquisa.

Essas respostas parecem não somente refletir a preferência dos americanos mais velhos, mas também indicar que esportes as crianças vão escolher nos próximos anos. Dos pais com crianças com menos de 18 anos, 82% disseram que seus filhos nunca pediram para praticar um esporte que eles não aprovassem, enquanto apenas 16% disseram o contrário – um sinal de que as preferências das crianças raramente estão descoladas das de seus pais.

Uma pesquisa Bloomberg de dezembro passado descobriu que metade dos entrevistados não gostaria que seus filhos jogassem futebol americano de contato, um resultado confirmado por uma pesquisa da AP-GfK do começo do ano. A participação no Pop Warner, maior programa de futebol americano juvenil do país, caiu 9,5% entre 2010 e 2012, apesar de um porta-voz do Pop Warner ter afirmado que desde 2012 os níveis têm se mantido estáveis.

Esse declínio vem sendo apontado por alguns como um sinal do declínio do futebol americano. Mas houve queda na participação em vários esportes juvenis entre 2000 e 2013, incluindo beisebol, softball e futebol – os três apontados como os preferidos na pesquisa YouGov. Em parte, a queda é resultado do aumento no número de crianças que se especializam em um único esporte, dizem os especialistas.

Mesmo que o futebol americano não esteja no topo da lista quando se trata do esporte para os filhos praticarem, os Estados Unidos ainda é um país de fanáticos pelo futebol americano. Uma pesquisa de janeiro do Public Religion Research Institute, apontou que 40% dos entrevistados preferem assistir futebol americano, seguido de longe pelo basquete, com 12% da preferência.

Podemos debater até a morte o esporte que as crianças deveriam praticar, mas uma coisa é certa: os americanos ainda acreditam que o esporte é crucial no desenvolvimento do caráter. Dos entrevistados, 79% disseram achar que o esporte é muito importante ou relativamente importante no desenvolvimento da criança.

Dito isso, os pais ficaram divididos quando questionados se prefeririam que seus filhos praticassem esporte ou tocassem um instrumento. 42% escolheram a música, enquanto 38% preferem o esporte.

A pesquisa HuffPost/YouGov consistiu de 1 000 entrevistas completas realizadas entre 12 e 14 de junho entre adultos americanos, usando amostra selecionada de um painel voluntário online para representar os dados demográficos e outras características da população adulta dos Estados Unidos.

O Huffington Post fez uma parceria com YouGov para realizar pesquisas de opinião diárias. Você pode saber mais sobre esse projeto e participar de pesquisas opinião nacional representativas do YouGov. Os dados de todas as sondagens HuffPost/YouGov podem ser encontrados aqui. Mais detalhes sobre a metodologia da pesquisa estão disponíveis aqui.

A maioria das pesquisas têm uma margem de erro que representa alguns, mas não todos, os erros potenciais. Os relatórios do YouGov incluem uma margem com base em um modelo de erro, que se baseia em um conjunto específico de suposições estatísticas a respeito da amostra selecionada, em vez de a metodologia padrão para amostragem probabilística aleatória. Se estes pressupostos estiverem errados, a margem de erro baseada em modelo também pode ser imprecisa.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.