NOTÍCIAS
18/06/2015 13:22 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Polícia prende Dylann Roof, suspeito de matar nove pessoas em ataque à igreja na Carolina do Sul

Reprodução/Facebook

Após horas de buscas intensas, a polícia americana prendeu, na tarde desta quinta-feira (18), Dylann Roof.

O jovem, de 21 anos, é acusado de matar nove pessoas dentro de uma igreja da comunidade negra em Charleston na Carolina do Sul. Ele foi capturado em uma estrada na Carolina do Norte e não apresentou resistência à prisão. Ele foi localizado após uma denúncia anônima.

De acordo com testemunhas, Roof ficou durante uma hora dentro da igreja, onde acontecia uma sessão de estudos bíblicos, até começar a atirar.

"Eu tenho que fazer isso", teria dito o jovem. "Vocês estupram nossas mulheres e estão dominando nosso país. E vocês têm que ir". De acordo com testemunhas, ele se levantou durante a sessão e afirmou que estava lá para "matar negros".

O FBI e o Departamento de Justiça investigam, junto com a polícia local, o caso como um crime de ódio, motivado pelo racismo.

Segundo um tio de Roof, ele ganhou uma pistola calibre 45 do pai em abril deste ano, quando completou 21 anos. Ele foi descrito como um jovem calmo e introspectivo.

O presidente dos EUA, Barack Obama, falou sobre o caso e afirmou que, embora agora seja tempo para "tristeza e luto", casos como esses não acontecem em outros países desenvolvidos. Obama apontou a necessidade de uma revisão na política armamentista dos EUA.

"Esse tipo de violência não acontece em outros países. Em algum momento, nós teremos que falar sobre o acesso sem restrições às armas"

Imagens do jovem divulgadas na internet mostram Roof vestindo uma jaqueta com as bandeiras da época do apartheid na África do Sul e da Rodésia (atual Zimbábue). Ambas as nações foram regidas por regimes racistas durante anos.