NOTÍCIAS
17/06/2015 18:13 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Prazer, também sou da seleção. O futebol feminino para além do talento de Marta

Minas Panagiotakis via Getty Images
MONTREAL, QC - JUNE 13: Cristiane #11 of Brazil tries to get the ball past Marta Torrejon #18 of Spain during the 2015 FIFA Women's World Cup Group E match at Olympic Stadium on June 13, 2015 in Montreal, Quebec, Canada. (Photo by Minas Panagiotakis/Getty Images)

Desconfie de qualquer um que duvidar da qualidade da brasileira Marta, a maior artilheira da história das Copas do Mundo de futebol feminino. Por trás de um nariz torcido podem residir alguns argumentos limitados, preconceituosos ou até misóginos, sejamos sinceros. Afinal, o que dizer de quem faz 15 gols em 15 jogos de Copa do Mundo?

Apesar dos holofotes se virarem quase que completamente para Marta, quatro vezes eleita como melhor jogadora pela FIFA, a seleção brasileira feminina não vive de um só talento. Se Neymar sofre para emplacar um parceiro à altura com a amarelinha, Marta, liderança técnica indiscutível da equipe, tem com quem contar.

Hoje, às 20h, as meninas enfrentam a Costa Rica já com a primeira colocação do Grupo E assegurada (o jogo será transmitido pelo Sportv2). Marta, segundo pistas do técnico Vadão, deve descansar. Uma ótima oportunidade para enxergar o esporte para além do talento da camisa 10. Aproveite. Você não vai se arrepender.

Formiga

Duas vezes medalha de prata nos Jogos Olímpicos, duas vezes segunda colocada no mundial de futebol feminino e bicampeã pan-americana. Outro recorde expressivo entra para sua conta: são cinco participações para Olimpíadas até aqui.

No Canadá, foi ela a responsável pelo primeiro gol brasileiro contra a Coréia do Sul, aproveitando um erro da zaga. Aos 37 anos, a meio-campista baiana segue líder sem precisar abrir mão da humildade.

"É uma honra representar mais uma vez o Brasil em Copa do Mundo. Estou aqui fazendo o que eu amo e vamos com tudo buscar mais vitórias ao longo da competição".

Por tudo isso, falar da modalidade é falar da veterana Formiga. Já são 20 anos de serviços prestados à seleção.

Cristiane

Com passagens por Santos (onde foi bicampeã da Libertadores), Corinthians e São José, no Brasil, e tendo disputado Campeonato Sueco -- o principal disputa de futebol feminino no mundo --, a atacante Cristiane é dona de um futebol ágil, inteligente e de ótima habilidade com a bola nos pés. Mas a a característica definitiva da jogadora é o oportunismo dentro da grande área.

Se Marta é a maior artilheira da Copa, Cristiane é a maior goleadora olímpica da história. Ao GloboEsporte, ela rebateu as críticas sobre o nível técnico do futebol feminino.

“Eu acho que se tratando de Copa sempre teve emoção. É que a gente lá no nosso país, o Brasil, ele é mais desligado. Ele é mais encanado. Tem que ser aquele jogo bonito, maravilhoso. Se fosse por isso também...há jogos do masculino também que você quer desligar a televisão”.

Os torcedores que tentaram assistir aos estaduais sabem o quanto a camisa 11 tem razão.

Andressa Alves

A camisa 9 fez sua estreia em mundiais neste ano, no Canadá. A meia-atacante não levou muito tempo para balançar as redes. Foi dela o gol que deu a vitória sobre a Espanha no último sábado.

“Quando tirei da goleira percebi que a zagueira chegaria para tirar a bola e não desisti da jogada. Quando ela tirou eu só dei um tapa por cima. O importante do gol foi acreditar que a zagueira ia tirar a bola e não ter desistido”.

A atleta também é considerada ótima batedora de faltas, recurso treinado exaustivamente. “Cobrança de falta é treino e por isso procuro fazer isso todos os dias que posso”, afirmou ao veículo da CBF.

É esperar para ver a calibragem da Andressa.