NOTÍCIAS
05/06/2015 10:33 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:19 -02

Estudante esfaqueado no trem usa a internet para falar sobre a violência

arquivo pessoal/facebook

O estudante Pedro Arthur Britto Santa Cruz, de 18 anos, esfaqueado no braço dentro de um trem da SuperVia no último dia 30, vem utilizando a internet desde que recebeu alta médica, no dia 2, para se manifestar sobre a violência sofrida e desabafar sobre o trauma. Na última quarta-feira, dia 3 de junho, ele escreveu em seu perfil no Facebook que sente compaixão de Michael Douglas Gonçalves da Silva, de 19 anos, suspeito de tê-lo esfaqueado que está preso desde terça-feira.

"Sobre ele (Silva), apenas sinto compaixão, afinal de contas, é apenas um ano mais velho e não tem, nem teve, minhas oportunidades e perspectivas", disse Pedro. No mesmo texto, ele explicou que o suspeito se aproximou dele no trem "como um amigo" e que não percebeu o exato momento em que foi esfaqueado. "De qualquer forma, estou mais preocupado como vou fazer pra amarrar meu cadarço sozinho, etc, com esse braço de homem de pedra", brincou. O texto foi compartilhado 221 vezes.

Já nesta sexta-feira, 5, ele agradeceu aos amigos "pela força" e contou que seu emocional está como "uma montanha-russa". "Tem horas que estou bem, na medida do possível. Outras, que chorar é inevitável. E vovó ainda disse que eu devia chorar mais. Quando saí do hospital, dei de cara com a estação do Méier e um trem chinês (idêntico ou até o mesmo, quem sabe) e desabei numa cachoeira de lágrimas. Hoje, voltando do IML (Instituto Médico Legal), foi parecido quando passei pela São Cristóvão", afirmou.

Pedro ficou internado de sábado, 30, até terça-feira, 2, no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier (zona norte). No mesmo dia em que levou as facadas, foi submetido a uma cirurgia. Com movimento de três dedos da mão esquerda comprometidos pela profundidade dos cortes, que atingiram até um dos nervos do braço, ele deverá passar por tratamento de fisioterapia.