NOTÍCIAS
04/06/2015 10:16 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:19 -02

Multidão sai às ruas contra violência da mulher em Buenos Aires (FOTOS)

REUTERS

Uma multidão se reuniu nesta quarta-feira (3) na capital da Argentina para exigir soluções à violência contra as mulheres e dar maior visibilidade a um problema que está arraigado na região.

Exibindo cartazes em frente ao Congresso em Buenos Aires, milhares de pessoas exigiram a aplicação de penas mais severas aos assassinatos oriundos da violência contra as mulheres e outras formas de agressões de gênero.

O protesto, organizado pelas redes sociais, também ocorreu em outras cidades da Argentina e no Uruguai. Alguns manifestantes mostraram cartazes com nomes e fotos de vítimas e exigiram igualdade.

A convocação atraiu apoio de artistas, políticos e instituições locais e, inclusive, um comentário da presidente, Cristina Kirchner.

"Não é só um problema judicial ou policial. Estamos diante de uma cultura devastadora do feminino", escreveu a mandatária em sua conta no Twitter. Ela deixará o cargo neste ano após o segundo mandato consecutivo.

Nos últimos meses, vários casos de jovens assassinadas foram manchetes de jornais, o que levantou o debate sobre um problema sobre o qual não há estatísticas claras, já que os únicos dados oficiais são elaborados com base em reportagens.

Segundo a organização de direitos das mulheres Casa del Encuentro, foram registrados no país 277 assassinatos como resultado de violência contra mulheres em 2014. De acordo com a média dos últimos anos, há um novo caso a cada 31 horas.

  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci
  • REUTERS/Marcos Brindicci