NOTÍCIAS
02/06/2015 15:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:19 -02

Feminicídio em Brasília: Policial Militar reformado mata mulher a socos e pode ser o primeiro caso do crime na capital

iStock

O policial militar reformado Geovanni Albuquerque Brasil, de 49 anos, foi preso nesta segunda-feira (1º) suspeito de matar a mulher, Conceição de Maria Lima Martins, de 43 anos, a socos, horas depois de o casal retornar de um bar. Este é o primeiro caso suspeito de feminicídio na capital federal.

Segundo o G1, o suspeito já havia sido denunciado outras nove vezes pela mulher. Em todas as vezes a vítima retirou a queixa.

Ao chegarem do bar, o policial agrediu a mulher e, em seguida, bêbado, dormiu ao lado do corpo, de acordo com o Correio Braziliense. Apenas quando acordou e percebeu que a mulher não reagia, chamou o Samu. De acordo com o G1, a equipe médica disse que Martins tinha muitos ferimentos no rosto e hematomas no corpo.

Ainda de acordo com o Correio Braziliense, a princípio Brasil negou que havia batido na mulher e disse que ela havia sido vítima de um assalto enquanto voltava para casa. Depois, quando foi apresentado às provas e testemunhos, confessou o crime, alegando que a mulher fazia uso de medicamento controlado: "A nossa relação era conturbada, mas eu só dei um soco nela. O problema foi que ela misturou bebida com o remédio", disse ele em depoimento, segundo o Jornal de Brasília.

O policial reformado foi preso na 4ª Delegacia de Polícia, no Guará, e pode ser condenado a 12 a 30 anos de reclusão por feminicídio.