NOTÍCIAS
02/06/2015 14:03 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:19 -02

Blatter anuncia saída da Fifa em meio a escândalo de corrupção

USAGE POLICY:You are free to use this photo for editorial use (not commercial), as long as a credit is included. The credit should read: thesportreview.com and if used anywhere on the internet, should be linked back to www.thesportreview.comEnjoy!" data-caption="Fifa president Sepp Blatter after being re-elected unopposed for a fourth term in Zurich in June 2011.USAGE POLICY:You are free to use this photo for editorial use (not commercial), as long as a credit is included. The credit should read: thesportreview.com and if used anywhere on the internet, should be linked back to www.thesportreview.comEnjoy!" data-credit="thesportreview/Flickr">

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou nesta terça-feira (2) que vai deixar o cargo e que novas eleições serão convocadas. O anúncio foi feito durante uma coletiva de imprensa em Zurique. "Um congresso extraordinário deve ser convocado para eleger meu sucessor o mais breve possível", afirmou.

"Tenho refletido profundamente sobre a minha presidência e os 40 anos em que minha vida tem foi ligada indissoluvelmente a Fifa e ao grande esporte do futebol. Eu estimo mais a Fifa mais que qualquer coisa e eu quero fazer apenas o que é melhor para a Fifa e para o futebol. Eu me senti compelido a ficar para a reeleição porque eu acreditava que essa era a melhor coisa para a organização. Aquela eleição acabou mas os desafios da Fifa não. A Fifa precisa e uma profunda revisão", disse Blatter em um comunicado divulgado hoje.

O suíço foi eleito para o quinto mandato na última sexta-feira (29), após o príncipe jordaniano Ali bin Al-Hussein desistir da disputa.

A eleição realizada há apenas quatro dias iria para o segundo turno. Blatter havia recebido 133 votos enquanto o príncipe Ali ficou com 73. Para conseguir a vitória em primeiro turno, era preciso obter dois terços dos 209 votos.

A renúncia de Blatter, que estava há 17 anos a frente da federação, surge após uma operação do FBI que resultou na prisão de seis dirigentes do esporte, incluindo o ex-presidente da CBF José Maria Marin.