NOTÍCIAS
31/05/2015 20:35 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:19 -02

EUA pagou US$ 20,2 milhões em benefícios para supostos nazistas, diz relatório

goo.gl/JcQlNS .Original: i.imgur.com/sXqPXfz.jpg" data-caption="Count Galeazzo Ciano was, from the very beginning, against the notion of Italy entering a war; he believed Italy was ill prepared for such an undertaking. As his doubts grew, Ciano would take increasingly bold actions; prior to the German invasion of France, for example, he warned the Belgian government of an imminent German invasion of Belgium. In 1942 and 1943, when the situation looked dire, Ciano turned his efforts towards Italy's withdrawal from the conflict. For this, he was removed from his post as Foreign Minister on February 5th, 1943. He would remain under close watch of his father-in-law, Mussolini. Following Mussolini's arrest and Italy's change of heart, Ciano sought refuge in Germany. There he did not find it; Ciano was rebuffed by the Germans and tried by the fsacist Italians, who found him guilty of treason. Count Ciano was executed by firing squad under the order of his father in law, Benito Mussolini, on January 11th, 1944. His last words were "Long Live Italy!"Behind Hitler is a German Army General (indicated by his collar tabs), who can be seen wearing a Golden Nazi Party Badge, which indicates that he was one of the first 100,000 to join the Nazi Party. In the foreground of the photo, what looks like the hilt of a sword is actually a General Field Marshall Formal Baton, which can be seen here goo.gl/JcQlNS .Original: i.imgur.com/sXqPXfz.jpg" data-credit="Jared Enos/Flickr">

Uma investigação federal nos Estados Unidos sobre a Agência de Previdência Social revela que a instituição pagou U$ 20,2 milhões em benefícios para mais de 130 suspeitos de crimes de guerra nazistas, guardas da SS - a tropa do governo de

Hitler - e outras pessoas que podem ter participado das atrocidades cometidas durante a Segunda Guerra Mundial.

O relatório, obtido pela Associated Press e que será divulgado publicamente nesta semana, usou dados processados por computador e outras informações internas da agência para chegar ao número total de suspeitos de nazismo que receberam benefícios e a quantidade de dólares pagos. No ano passado, a administração da Previdência Social se recusou a revelar os números para a Associated Press, que produziu matéria que levou à investigação.

Os valores gastos são muito superiores ao que foi previamente estimado e ocorreram entre fevereiro de 1962 e janeiro de 2015, quando uma nova lei chamada "Não à Previdência Social para Nazistas" foi sancionada e acabou com o pagamento de aposentadoria para quatro beneficiários. O relatório não inclui o nome de nenhum suspeito de nazismo que recebeu os benefícios.

A grande quantidade de benefícios e a sua duração demonstram como a população norte-americana não estava ciente do fluxo de nazistas nos Estados Unidos, com as estimativas chegando a 10.000 pessoas. Muitos mentiram sobre seu passado para entrar no país e tornaram-se cidadãos norte-americanos, conseguiram empregos e nunca falaram sobre o que fizeram durante a guerra.

A representante do partido Democrata, Carolyn Maloney, pediu que a administração da Previdência Social investigasse a fundo os pagamentos após uma reportagem publicada pela Associated Press em outubro do ano passado. No sábado (30), Maloney afirmou que o relatório mostrava que 133 suspeitos e confirmados nazistas trabalharam para esconder suas verdadeiras identidades do governo norte-americano.

"Nós devemos continuar trabalhando para lembrar a tragédia do Holocausto e culpar os responsáveis pelos atos", disse a Democrata. "Uma maneira de fazer isso é divulgar a maior quantidade de informações possível para o público. Esperamos que esse relatório nos forneça alguma clareza", comentou.

A Associated Press revelou que o Departamento de Justiça dos EUA usou uma brecha na lei para persuadir suspeitos de nazismo a sair do país em troca de benefícios da Previdência Social. Se eles concordassem em sair voluntariamente antes de serem deportados eles poderiam manter os benefícios. O Departamento de Justiça negou usar os pagamentos como uma maneira de expulsar nazistas.