NOTÍCIAS
28/05/2015 12:19 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:13 -02

Tucano que xingou professora diz que 'se orgulha' de atuação na presidência do PSDB-PR

Montagem/Reprodução Facebook

O deputado federal, Valdir Rossoni(PSDB-PR), negou nesta quarta-feira (27) que se afastou do cargo de presidente do diretório estadual do partido após ter chamado uma professora de "biscate" na internet. Em nota enviada à Agência Estado, ele afirmou que a informação é "mentirosa e estapafúrdia".

"Repito que me afastei do cargo unicamente por causa da proximidade da convenção que ocorrerá no próximo mês de junho", escreveu o parlamentar. "Considero que minha missão no comando da legenda, da qual me orgulho muito, foi cumprida e abro espaço para que seja iniciado um novo ciclo".

A presidência da legenda no Estado será ocupada pelo secretário-geral do partido e presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano.

Entenda o caso

Segundo Adriane Sobanski, o insulto ocorreu dias depois de ela ter feito comentário em postagem do perfil de Rossoni contra a presidente Dilma Rousseff. "Comentei duas postagens dele. Uma com fotos de Brasília em que dizia sentir vergonha da presidente por causa da situação do País. Eu disse que primeiro devia ver a situação do Paraná", disse ela.

Seu comentário fez com que Rossoni, segundo ela, lhe enviasse uma mensagem interna, não pública, que dizia: "Pela (sic) seu desrespeito imagino q vc faz e sua casa vai procurar sua turma biscate". Adriane leciona História e é doutoranda em Educação na Universidade Federal do Paraná. A professora tentou rebater o xingamento, mas não conseguiu. "O bate papo não permite que eu responda. Ontem (dia 14 de maio) era possível comentar na página, hoje não mais", escreveu Adriane.

O deputado ironizava o lema "pátria educadora" de Dilma ao falar do atual ranking mundial da educação feito pela Organização para a Educação e Desenvolvimento Econômico, que colocou o Brasil em 60.º lugar.

O xingamento de Rossoni dirigido à professora de História, provocou reação da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), que protocolou representação na Procuradoria da Mulher na Câmara dos Deputados, em Curitiba, para que Rossoni explique o ocorrido. "Lamento muito que o Paraná esteja protagonizando esse tipo de notícia em nível nacional", comentou em seu perfil do Facebook.

LEIA MAIS:

- Gleisi Hoffmann vai apresentar projeto que agrava pena para injúria por gênero

- No Senado, professores do PR relembram massacre; Tucanos tentam defender ação da PM

- ASSISTA: Na Rússia, Garçonete se defende (mesmo!) de clientes assediadores