NOTÍCIAS
27/05/2015 15:28 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:13 -02

Protesto de professores na Assembleia Legislativa de Goiás termina em pancadaria

Montagem/Reprodução Facebook

Um grupo de aproximadamente 20 professores foi barrado ao tentar entrar na Assembleia Legislativa do Estado, em Goiânia, vestindo sacos de lixo. O ato deu início a um confronto entre manifestantes e a Polícia Legislativa que, segundo o jornal Opção, deixou pelo menos três pessoas feridas.

O vídeo mostra o momento em que o tumulto começou, logo após o policial dar um "tapinha" no rosto de um dos manifestantes.


Professores do MPG foram agredidos pela Polícia Legislativa

Posted by Mobilização dos Professores de Goiás - MPG on Terça, 26 de maio de 2015

Segundo o site Goiás 24 Horas, o tumulto começou quando os manifestantes deixaram a Assembleia para vestir sacos de lixo no momento em que a Mesa Diretora suspendeu a sessão para reunião do Conselho de Ética. Manifestantes disseram ao jornal Opção que iriam protestar nos corredores da Alego. “Nos vestimos de lixo porque lá dentro só tem lixo”, segundo eles.

Quando os manifestantes decidiram voltar, foram barrados pela polícia legislativa, dando início ao tumulto. De acordo com o G1, além dos professores, o chefe da polícia também ficou ferido e fez boletim de ocorrência. O site também afirma que a Alego está investigando o caso.

Ainda com informações do jornal Opção, o grupo que compôs a manifestação faz parte do “Mobilização Professores de Goiás”, que não tem relação com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego), que organiza a greve da categoria.

A greve no estado

Os professores estão de braços cruzados desde o dia 13 de maio. De acordo com o Sintego, a categoria reivindica que o estado pague o piso salarial, a data-base dos administrativos, que realize concurso público para preenchimento das vagas nas escolas da rede e o fim do parcelamento dos salários.