NOTÍCIAS
26/05/2015 22:56 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:13 -02

Reality show vai discutir política e participação popular na internet

Serão cinco grupos de quatro pessoas cada, indivíduos de diferentes regiões do Brasil, classes sociais e vertentes políticas. Eles não ficarão confinados em um casa, mas serão colocados frente a frente para discutir temas relacionados ao futuro do País, com transmissão ao vivo pela internet. No final, as propostas são votadas e podem virar projetos concretos. Essa é a ideia geral do reality show Iniciativa Pop Brasil, primeira iniciativa do gênero no mundo.

Segundo os idealizadores, existe no País uma vontade de participação popular que não encontrou caminho de comunicação com seus representantes políticos. "Movimentos suprapartidários que são gerados pelas redes, mas que não conseguiram resultados efetivos para suas demandas, perdendo força com o tempo", escreve Isabelle Anchieta, co-criadora do Ipop Brasil e professora da pós-graduação de História da USP, mestre em Comunicação Social pela PUC.

Em resposta, o grupo de Isabelle decidiu unir a proposta da Lei de Iniciativa Popular com a dinâmica das redes sociais. O programa quer fomentar um amplo debate e participação popular sobre grandes questões nacionais via televisão e redes sociais e, ao fim, produz um projeto de lei que será encaminhado ao Congresso Nacional para ser votado e possivelmente implementado.

"Mais do que a promoção de anônimos, vamos valorizar projetos importantes para o País. Um programa que fundamenta-se na interatividade e na participação popular via Internet e ligações telefônicas", afirma Isabelle.

O projeto será financiado via crowdfunding e as discussões acontecerão em uma mesma cidade, mas os participantes também farão viagens para conhecer realidades de outras regiões do País e até do exterior, tudo como parte do programa.

A ideia partiu de um grupo de peso quando se fala em participação popular no Brasil. Além de Isabelle Anchieta, o grupo conta com o juiz Márlon Reis, idealizador e articulador do projeto de Lei “Ficha Limpa” e atualmente do Eleições Limpas. O time também conta com Leonardo Avritzer, presidente da Associação Brasileira de Ciência Política, Izabela Corrêa, co-fundadora do Projeto Brasil, Edson de Castro, promotor de justiça, e o apresentador Elias Santos, mestre em Comunicação Social pela UFMG.

LEIA MAIS:

- Prefeitura de Porto Alegre troca lixo reciclável por alimentos ou livros

- Brasileiro cria chuveiro 'infinito' que promete banho com apenas 10 litros de água

- O ensino técnico mudou a vida deles