NOTÍCIAS
19/05/2015 15:46 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:03 -02

Saiba como cuidar da sua barba e ficar livre de bactérias e infecções

iStock

As polêmicas sobre a barba são cada vez maiores. Fora a questão de gosto, recentemente circulou uma pesquisa afirmando que supostamente as barbas seriam tão sujas quanto vasos sanitários de banheiro.

É verdade que a barba pode acumular muitas bactérias, mas isso depende, acima de tudo, dos hábitos de higiene de quem ostenta pelos faciais volumosos.

A dermatologista Tatiana Steiner, do departamento de cabelos e unhas da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que uma contaminação por bactérias fecais seria possível pelo contato constante com as mãos sujas.

Por isso, ela recomenda “que os homens evitem passar a mão na barba, pois isso pode trazer bactérias para o rosto, ou tirar bactérias do rosto e leva-las para outro lugar do corpo”.

De forma geral, a regra é clara e simples: durante o banho basta lavar a barba da mesma forma que se lava os cabelos, além de manter as mãos limpas.

Banho

Quanto mais comprida a barba, maior deve ser o cuidado. Steiner recomenda lavar os pelos da face com xampu e passar condicionador, para que a pele do rosto não fique ressecada.

“Depois do banho, quando os fios ainda estão úmidos, é bom desembaraçá-los com escova ou pente. É importante que as cerdas da escova não sejam muito moles e que os dentes do pente não sejam largos nem estreitos demais, para não quebrar os fios”, explica Steiner.

Segundo a dermatologista, também é possível usar secador na barba “desde que em temperatura morna para fria e com o bocal do aparelho direcionado para baixo, para não queimar os lábios ou o rosto e garantir que os pelos fiquem certinhos e com volume na medida”.

Pele

Também é preciso tomar cuidado com a pele por baixo dos pelos, verificar se não há ressecamento, descamação ou feridas no rosto, que não ficam aparentes devido à barba.

Steiner explica que “os homens têm a pele mais oleosa. Por isso estão mais sujeitos a acne e a proliferação de bactérias que podem estar presentes nos folículos pilosos”.

Outro problema que pode afetar os barbados é a dermatite seborreica, mais conhecida como seborreia, caspa ou eczema. É uma doença crônica que se manifesta na pele onde existe maior produção de óleo.

Neste caso, é necessário utilizar shampoo anticaspa até que o problema melhore. Se persistir ou a descamação for intensa, é importante consultar um médico dermatologista.

Cara raspada

Quem aposta nos pelos raspados por ser mais higiênico ou prático, se engana. Fora a necessidade de limpeza diária, é preciso estar atento aos pelos encravados.

“O ato de barbear-se é um processo que pode agredir a pele, principalmente se realizado de maneira inadequada ou com produtos de má qualidade”, afirma Steiner.

A dermatologista explica que “o tipo de pelo pode influenciar na formação da barba, pois possui características diferentes de espessura e formato que podem favorecer mais ou menos o encravamento. Este processo pode levar a uma infecção chamada foliculite persistente, que se caracteriza por avermelhamento, dor e formação de pus no local do folículo pilo sebáceo”.

Se você quer insistir na cara raspada, a dica é hidratação. Segundo Steiner, “uma propriedade importante do pelo é que a força necessária para cortá-lo pode ser reduzida com a hidratação”. Um pelo bem hidratado é mais macio e mais fácil de cortar.

Para alcançar uma depilação eficaz e confortável com o mínimo de irritação, é fundamental utilizar lâminas de boa qualidade e afiadas. Lâminas velhas podem desencadear processo alérgico pelo níquel, metal que se desprende com o tempo.

LEIA MAIS:

- Sua barba hipster pode ser um criadouro de bactérias

- ASSISTA: Vídeo mostra a evolução da barba e bigode entre 1800 e 2010

- Estilo Lula? Aécio Neves aparece com barba por fazer