NOTÍCIAS
19/05/2015 18:19 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Principal associação de entidades esportivas do mundo perde filiados após atrito com COI

Muhammad Hamed/Reuters

O levantamento de peso foi a décima modalidade a suspender relações com a SportAccord, entidade que chegou a reunir 92 federações internacionais de diversos esportes, olímpicos ou não, e diversos outros atores do esporte internacional.

A Federação Internacional de Levantamento de Peso decidiu suspender sua filiação à entidade em razão do recente ataque do presidente da SportAccord, Marius Vizer, contra o Comitê Olímpico Internacional (COI).

Há três semanas, em Sochi (Rússia), na abertura da 14ª Assembleia Geral da SportAccord, Vizer fez duras críticas ao COI, acusando o órgão de ser pouco transparente. Ele ainda sugeriu que os Jogos Mundiais, evento de maior repercussão da SportAccord, se transformassem em um concorrente dos Jogos Olímpicos, reunindo os Mundiais das modalidades olímpicas.

Vizer foi rapidamente taxado de "ditador", porque não expressava a opinião dos membros da entidade. No dia seguinte, a Associação de Federações Olímpicas de Verão (ASOIF, na sigla em inglês) anunciou a suspensão as suas relações com a SportAccord.

Desde então, as federações de boxe, canoagem, tiro com arco e tae kwon do, entre outras, se desfiliaram da entidade. Agora chegou a vez do levantamento de peso, a 10ª modalidade a se afastar da SportAccord.

APARAR ARESTAS

Preocupado com a saída de diversas entidades da SportAccord, o presidente Marius Vizer afirmou nesta terça-feira que pretende se reunir com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para aparar as arestas depois das duras críticas que fez no mês passado.

Vizer revelou que propôs uma reunião com o presidente do COI, Thomas Bach. Ele não informou se Bach aceitou o convite e se já há data definida para o encontro. De acordo com o dirigente da SportAccord, a reunião é "necessária para o benefício e a unidade de todo o movimento esportivo".

Com esta reunião, Vizer espera se aproximar do COI para amenizar suas críticas públicas que geraram mal-estar dentro da própria entidade. Ele afirmou que espera ter "discussões positivas que levem a soluções tangíveis".

LEIA MAIS:

- Cooperação Brasil-China inclui acordo no tênis de mesa e badminton

- Brasil pode sair do calendário internacional de atletismo por falta de verba

- Laboratório brasileiro vai fazer antidoping na Olimpíada