NOTÍCIAS
13/05/2015 12:32 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Policiais civis do Rio de Janeiro revelam os motivos para serem contrários à redução da maioridade penal (VÍDEO)

Policiais que integram a Coligação dos Policiais Civis do Rio de Janeiro (Colpol) disseram ser contrários à PEC 171/93, que trata da diminuição da maioridade penal de 18 para 16 anos no Brasil. E argumentos não faltaram entre os agentes que combatem diariamente o crime.

“Trata-se de um populismo penal”, diz o policial civil Hildebrando Saraiva no vídeo, que foi divulgado na internet na última sexta-feira (8). “Aumentar a quantidade de presos não será capaz de reduzir a criminalidade”, emenda o agente, que integra a corporação há 12 anos.

Já para o policial Francisco Delatorre, o interesse público está sendo consumido por uma disputa partidária na Câmara dos Deputados. Para ele, reduzir a maioridade penal é inconstitucional. “Penso eu que a menoridade é sim direito e garantia, já que os direitos e garantias não estão concentrados no artigo 5º da Constituição. São esparsos”.

Já o delegado Alexandre Neto acredita que diminuir a maioridade penal é eximir o Estado brasileiro “de sua responsabilidade de proteger quem realmente é vítima da criminalidade”, conforme mostram os dados estatísticos mais recentes. O colega Orlando Zaccone concorda e vai além acerca do assunto, que teria outros objetivos.

“Os países que mais encarceram no mundo têm optado pela privatização do sistema prisional e o Brasil vai caminhar por isso. Quando dobrarmos isso, quando sairmos de 700 mil e chegarmos a 1,4 milhão de presos, provavelmente o Estado vai jogar a toalha e vamos admitir a privatização do sistema, transformando o cárcere em um grande negócio, sobrecarregando a polícia nessa atividade”, avalia.

“Esse adolescente do imaginário popular, esse adolescente criminoso que arranca cabeças e tal, isso não é verdade. Isso é uma exceção. A maioria dos adolescentes que são apreendidos são por crimes leves, por crimes de furto, de receptação, crimes que nem de longe passam perto desses crimes violentos”, completa o policial civil Tiago (não revelou o seu sobrenome).

O vídeo termina com uma análise do policial Bruno, que integra a corporação há 12 anos: “Para todo problema complexo existe uma resposta simples, objetiva e errada. E eu acho que essa resposta de reduzir a maioridade penal de 18 para 16 anos é dar uma resposta simples, objetiva e errada a um problema que é muito complexo”.

LEIA TAMBÉM

- Diminuir a maioridade penal é a solução? Te damos 11 razões para provar que NÃO É

- Dilma sobre a redução da maioridade penal: 'Não vai resolver o problema'

- 10 motivos para ter medo da bancada BBB, 'Bíblia, Boi e Bala'

- Uma segunda chance para jovens infratores

- Maioridade penal no Irã começa aos nove anos e é mais rigorosa para meninas