NOTÍCIAS
11/05/2015 12:48 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

O último rinoceronte branco do norte macho é colocado sob guarda armada no Quênia

Depois de sua espécie ser dizimada por caçadores ilegais, o rinoceronte Sudão está numa situação extremamente precária: ele é o último rinoceronte branco do norte do planeta.

Segundo o The Independent, o animal de 40 anos foi colocado sob guarda armada 24 horas na área de conservação onde vive, no Quênia. Existe a esperança de que Sudão se reproduza – e possivelmente salve sua espécie da extinção.

Sudão e duas rinocerontes fêmeas de sua subespécie estão sob os cuidados de guardas florestais do Ol Pejeta Conservancy, no Quênia. O trio seria um dos últimos cinco rinocerontes brancos do norte remanescentes no mundo. Duas outras fêmeas vivem em cativeiro.

Para protegê-lo de caçadores, rádio-transmissores foram acoplados ao animal, diz o The Independent.

O chifre do rinoceronte também foi removido, como precaução extra.

“Seu chifre foi cortado para deter os caçadores”, disse Elodie Sampere, da Ol Pejeta, ao The Dodo. “Se o rinoceronte não tem chifre, não é de interesse para os caçadores. É uma medida para mantê-lo em segurança.”

Em 1960, havia mais de 2 000 rinocerontes brancos do norte no planeta, segundo o World Wide Fund for Nature. A caça ilegal, entretanto, reduziu esse número para 15 em 1984.

Os caçadores ilegais não representam perigo só para os rinocerontes, cujos chifres podem valer 75 000 dólares por quilo ou mais, mas também para as pessoas que tentam proteger os animais.

Em uma entrevista em janeiro, Simor Irungu, um guarda florestal que protege Sudão e outros rinocerontes, explicou como seu trabalho é perigoso.

“Com a crescente demanda por chifres de rinoceronte e marfim, enfrentamos muitas tentativas de caça. Apesar de conseguirmos evitar muitas delas, muitas vezes colocamos nossas vidas em risco”, disse Irungu ao site World of Animals.

Para que os guardas tenham os melhores treinamento e equipamentos possíveis, o Ol Pejeta lançou no mês passado uma campanha no GoFundMe. Até agora, a campanha levantou cerca de 7 700 dólares.

Para saber mais sobre Sudão e o Ol Pejeta, visite o site da instituição.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

Austrália sacrifica 700 coalas por conta de superpopulação; Animal corre risco de extinção em algumas regiões do país

Cientistas querem clonar mamute extinto há 43 mil anos

Funcionários desmantelam acampamentos de caçadores no Parque Estadual de Ilhabela

Amizade Animal: rinoceronte e cordeiro brincam juntos (VÍDEO)