MULHERES
11/05/2015 20:03 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Esta é a resposta de Henri Castelli ao comentário preconceituoso de ex-mulher sobre foto de filha vestida de mãe de santo

O Dia das Mães não foi tão tranquilo assim para o ator Henri Casteli e sua ex-mulher Juliana Despirito. O ator compartilhou no Instagram uma foto da filha, Maria Eduarda, de apenas 2 anos, vestida de baiana no colo da mãe de santo Neide Oyá D'Oxum, fundadora e dirigente do Grupo União Espírita Santa Bárbara (Guesb) em Maceió, no Alagoas e provocou a insatisfação da mãe da pequena:

Minutos depois da publicação de Henri, Juliana, que é assessora de imprensa e evangélica, disse que se sentiu "ofendida" com a publicação e, por isso, respondeu com uma outra imagem na mesma rede social, se referindo à religião de origem africana como "macumba". Fortemente criticada e acusada de preconceito por seus seguidores, horas depois ela editou o post e explicou a sua "revolta":

Nesta segunda-feira (11), sutilmente, Henri Castelli respondeu a ex. Na foto abaixo, ele aparece em um evento na comunidade de Paraisópolis, em São Paulo. "Ninguém aqui tem preconceito, assim que tem que ser nessa vida". O ator interpreta um dos vilões da nova novela das 19h da Rede Globo, "I Love Paraisópolis".

Em entrevista ao EGO, Juliana disse que o que a irritou foi a falta de aviso, já que ela consulta Henri para tudo o que faz com a filha:

"O que me irritou foi ele não ter me avisado que iria levá-la ao encontro da mãe de santo e fazê-la posar com aquela roupa. Acho que ele fez isso de propósito. A religião é muito importante para a formação do ser humano e por se tratar de uma criança, precisa ser discutida entre pai e mãe. Ele não poderia ter tido essa atitude sem me consultar, pois eu o consulto para tudo, até para passeios e idas ao médico".

Abalada com a repercussão do caso, a mãe de santo também usou as redes sociais para se manifestar. "O tempo do cativeiro JÁ FOI. Hoje não precisamos mais nos esconder. E além disso, temos LEIS que olham por nós. Estamos amparados pela legislação brasileira e aqueles que nos insultam, ofendem e difamam podem responder em juízo. Estamos em um país laico", escreveu.

Ainda segundo o EGO, Claudia Puentes, representante de Mãe Neide que também é presidente do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial de Alagoas, disse que a comunidade negra se sentiu agredida com as declarações da ex-mulher de Henri Castelli e se reunirá para decidir se irá processá-la ou não pelo caso.

LEIA MAIS:

- 9 frases de celebridades que vão mudar o que você pensa sobre doenças mentais

- ARRASOU! Miley Cyrus cria organização que ajuda jovens LGBT sem-teto e outras minorias