NOTÍCIAS
08/05/2015 09:40 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Após repercussão negativa, deputados da Alerj prometem rever aumento que paga mais a estagiários do que a professores

Montagem/Estadão Conteúdo

Deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) recuaram e já falam em rever o aumento de 93% concedido a estagiários da Casa. A medida, anunciada nesta semana, é retroativa a março e faz com que os servidores dos parlamentares – todos sem concurso público – ganhem até três vezes mais do que os professores estaduais.

A repercussão do assunto foi amplamente negativa e fez com que partidos da base governista e da oposição falassem em rever o aumento aos estagiários, além de tornar o processo de nomeação e identificação dos servidores mais transparentes. Pela oposição, o líder do PSol Marcelo Freixo, que concordou com o aumento, apresentou uma nova proposta.

“A remuneração não seja mais vinculada ao salário mínimo e que a seleção seja realizada através de concurso público. Essa iniciativa vai corrigir a legislação que elevou a remuneração dos estagiários para R$ 2.800, um valor excessivo”, escreveu, em sua página no Facebook.

Critério de remuneração dos estagiários da Alerj precisa ser revistoMarcelo Freixo e os demais deputados estaduais do...

Posted by Marcelo Freixo on Quinta, 7 de maio de 2015

De acordo com o aumento definido pelos líderes de todos os partidos da Alerj, estagiários da Casa com nível médio passaram a ganhar R$ 1.906,64 por mês, para trabalharem quatro horas diárias – anteriormente o valor era de R$ 990. Os que têm nível superior receberam um reajuste ainda maior: R$ 2.860,41 – ante os antigos R$ 1.480,00. É mais do que o dobro da inflação oficial no período entre 2010 e 2015, quando os servidores não ganharam aumento.

Já os professores estaduais do Rio ganham hoje, na melhor das hipóteses, um salário de R$ 1.179,35 – quase três vezes menos do que um estagiário com diploma universitário da Alerj.

As propostas de mudanças no reajuste aos estagiários serão discutidas pelo Colégio de Líderes na próxima terça-feira (12). Ao G1, o presidente da Alerj Jorge Picciani (PMDB) considerou o aumento “um erro” e garantiu que ele seria corrigido. Depois da repercussão, a Casa confirmou que hoje conta com 229 estagiários de nível superior e 15 de nível médio. Além disso, eles são escolhidos depois de uma análise do currículo, sem prestar concurso público.

Se antes os deputados falavam em reverter o reajuste apenas para os novos estagiários, e não aos que já trabalham na Alerj, agora o discurso é outro. De acordo com Picciani, o departamento jurídico já foi acionado para ajudar na condução do assunto, revertendo o aumento para todos os estagiários. “Acho que vai baixar”, concluiu.

LEIA TAMBÉM

- Governador do Paraná garantiu que não haveria repressão contra professores, diz presidente da CDH da Câmara

- #SomosTodosProfessores

- No meio do caminho da educação havia uma pedra

- No 'tucanato' do Paraná, o gigante adormecido resolveu mostrar que está vivo