NOTÍCIAS
07/05/2015 10:18 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Torcida do Corinthians Camisa 12 é condenada a pagar multa de R$ 20 mil por episódio de homofobia contra Emerson Sheik

Montagem/Instagram e Facebook

“Vai beijar a PQP. Aqui é lugar de homem”. Esta era a mensagem em uma faixa exibida pela Fiel Torcida Jovem Camisa 12, do Corinthians, no dia 19 de agosto de 2013. Por essa manifestação tida como homofóbica, direcionada ao atacante Emerson Sheik, a organizada vai pagar uma multa de R$ 20 mil. A decisão judicial foi publicada pela colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

No processo, movido pela Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo, a Justiça acatou as argumentações de que o protesto tratou-se de um ato discriminatório. De acordo com a colunista, a torcida organizada negou a homofobia, dizendo em sua defesa que as manifestações foram contra o atacante, que teria “desrespeitado companheiros de clube, o técnico e a torcida” após ser substituído em um jogo, um dia antes.

A decisão é de primeira instância e ainda cabe recurso.

Relembre o caso

Após uma vitória sobre o Coritiba, em partida válida pelo Brasileirão de 2013, Emerson publicou uma foto em sua página do Instagram na qual dava um selinho em um amigo. Junto à foto, o jogador escreveu: “Tem que ser muito valente para celebrar a amizade sem medo do que os preconceituosos vão dizer. Tem que ser muito livre para comemorar uma vitória assim, de cara limpa, com um amigo que te apoia sempre”.

Postagem de Sheik desagradou grupo de corintianos (Reprodução/Instagram)

Na época, a polêmica foi grande e um grupo de torcedores foi ao CT do clube para protestar, já que é comum os corintianos ironizarem os rivais do São Paulo quando o tema é a homossexualidade. Foram levadas faixas que diziam que “viados não são aceitos”, “vai beijar mulher, c...”, entre outras mensagens. Para esses torcedores, Emerson Sheik ‘abriu uma brecha’ para gozações dos rivais.

O atacante do Timão, que é heterossexual, chamou de “preconceito babaca”. “O mundo do futebol é muito machista. Quero deixar bem claro que se alguém se sentiu desrespeitado, desculpa. Lá era o Emerson pessoa, não o jogador. Tenho enorme carinho pelo Isaac, que é um amigo muito especial. Ele é um queridão, a esposa está grávida de nove meses. E daí a galera levou para o lado errado”, explicou, em entrevista à TV Bandeirantes.

Em 2015, a situação do jogador no Timão também não é das mais confortáveis. Ele foi duramente criticado por sua expulsão contra o São Paulo, no mês passado, em partida da primeira fase da Copa Libertadores, e desfalcou a equipe na derrota por 2 a 0 para o Guarani do Paraguai, na noite desta quarta-feira (6), em Assunção.

LEIA TAMBÉM

- ESTUDO: 2014 foi um ano ruim para a liberdade de expressão no Brasil

- Ziraldo: 'Fernanda Montenegro não tem direito de fazer apologia do afeto homossexual'

- Jair Bolsonaro é condenado a pagar R$ 150 mil por ofensas a gays

- Promoção em restaurante gera denúncia de homofobia no interior de SP